Linguagem JavaScript: saiba o que é, como funciona e para que serve

Até os anos 90, as páginas dos websites eram estáticas. Mas com a chegada do JavaScript, a internet ganhou mais dinamismo. Ela permitiu o preenchimento de formulários, mapas interativos, gráficos tridimensionais e muito mais. Entenda, portanto, na nossa série sobre linguagens de programação, o que é JavaScript, como ela funciona e porque ela é usada por uma boa parcela dos developers. 

Por certo, alguns DEVs não gostam de trabalhar com JavaScript ou JS, como a linguagem também é conhecida. Mas não há como negar que ela inovou as aplicações desde a sua criação, em 1995. Então quais seriam as suas vantagens e por que ela esteve no topo das linguagens mais utilizadas durante tanto tempo? 

Se você é iniciante ou gosta do tema, ou até mesmo se está há mais tempo neste maravilhoso mundo do desenvolvimento, aproveite para ler este artigo e conhecer curiosidades sobre a linguagem JavaScript. 

Descrição 

Segundo a definição da Netscape Communications Corporations (onde o JavaScript foi criado), “JavaScript é uma linguagem de programação, leve, interpretada, orientada a objetos, baseada em protótipos e em first-class functions (funções de primeira classe), mais conhecida como a linguagem de script da internet”. 

Além disso, ela é multi-paradigma e dinâmica, suportando estilos imperativos e declarativos. Portanto, o(a) developer pode implementar itens dinâmicos às páginas, melhorando a navegação por parte do usuário. 

Quando se fala em aplicações web, há 3 tecnologias padrão envolvidas: HTML, CSS e, como não poderia deixar de ser, a linguagem JavaScript. 

Criação 

E você deve estar pensando: quando a linguagem JavaScript foi criada e por quem? Bem, o JS foi criado em 1995 pelo programador Brendan Eich

Naquela época, ele trabalhava com o navegador Netscape. Mas Brendan iniciou sua carreira na Silicon Graphics muito tempo antes. Ele ficou por 7 anos trabalhando com sistemas operacionais e mais 3 anos escrevendo microkernels e código para DSPs. Tornou-se conhecido, portanto, com o seu trabalho na Netscape e na Mozilla. 

Por que a linguagem JavaScript foi criada?

No começo da década de 90, o browser mais popular era o Mosaic (da NCSA). Mas a Netscape entrou neste segmento com a criação do Netscape Navigator para explorar esse mercado da internet. E não demorou muito para ela ser a líder dessa área. 

Assim, a Netscape percebeu que a web tinha que ser mais dinâmica. Essa necessidade surgiu, principalmente, porque o Navigator sempre tinha que fazer uma requisição ao servidor para obter uma resposta no navegador. 

Para solucionar este problema, era preciso buscar algo inovador para a época. Em conversas com Brendan Eich, foi pedido um protótipo com alguma solução.  

Desse modo, em apenas 10 dias, ele apresentou um protótipo batizado de Mocha. Mais tarde, a linguagem foi renomeada para LiveScript e, finalmente, para JavaScript. Sim, o nome tem relação com Java, que apesar de ser outra tecnologia, estava muito em alta naquela época.

Quais os IDEs mais comuns? 

Com o passar do tempo, a linguagem JavaScript foi se tornando mais popular. Com isso, surgiram IDEs que são usados nas aplicações com JavaScript. Entre eles estão: 

  • WebStorm
  • Visual Studio Code
  • VS Code

Só lembrando que IDE é o ambiente de desenvolvimento integrado, ou seja, um software que usa ferramentas de desenvolvimento dentro de uma única interface gráfica do usuário. Assim, deixando o desenvolvimento mais fácil. Geralmente, ele contempla o editor de código-fonte, a automação de compilação local e o debugger (programa usado para testar outros programas, mostrando onde está o bug no código principal). 

E com relação aos frameworks e bibliotecas para JavaScript?

Agora, outro assunto bastante procurado por aqueles que querem se aprofundar na linguagem JavaScript são os frameworks e bibliotecas. Veja, portanto, um pequeno resumo dos mais comuns. 

  • React: ele é uma biblioteca usada para criar interfaces eficientes, sendo muito empregado no front-end juntamente com JS. Proporciona vantagens ao DEV, como criar um código limpo e reutilizável. 
  • Vue.js: ele também é uma biblioteca de web-components, destacando-se por ser leve, com foco bem claro e modular. 
  • Angular.js: o framework para JavaScript ainda é utilizado por alguns(as) developers por ser considerado ideal para criar Single Page Applications (SPA). Ele, que é open source, foi criado em meados de 2009.  
  • Node.js: é uma plataforma em que é possível criar aplicações JavaScript sem depender de um browser para a sua execução. Ele foi criado para ser escalável e, por isso, acaba sendo uma ótima opção para aplicações que exijam tráfego alto de comunicação em tempo real. 
  • jQuery: é a principal biblioteca de JavaScript, sendo uma boa opção de aprendizado para os iniciantes.

Quais as principais vantagens de utilizar a linguagem JavaScript? 

Como foi dito, embora o JavaScript não seja uma unanimidade, há muitas vantagens em sua utilização, como as que você pode conferir agora:

  • considera-se o aprendizado de JavaScript fácil em relação a outras linguagens. Além disso, ele é compatível com várias plataformas e frameworks. 
  • é possível fazer a validação de entradas de dados sem a necessidade de conferir manualmente as informações;
  • ele dispensa compilador, já que os navegadores web fazem interpretações com HTML;
  • apresenta rapidez e leveza no carregamento de páginas. 

Atualizações 

Outra informação que está relacionada às suas vantagens são as suas atualizações. 

Criada em 1995, a linguagem JavaScript ficou muito tempo sem atualizações. Em 2015, no entanto, ocorreu uma das mais importantes. Foi a versão EcmaScript 6 (ES6). 

Em suma, a atualização trouxe funções mais legíveis e melhores formas de controlarmos o escopo e a integridade dos dados.

Quem utiliza a linguagem JavaScript?

Falem bem ou falem mal, o JavaScript está nas equipes de tecnologia das principais empresas. Veja a seguir alguns exemplos: 

  • PayPal
  • Netflix
  • Groupon
  • Walmart
  • LinkedIn

E basta dar uma rápida passada de olho nas vagas para DEVs nas empresas e startups brasileiras que muitas exigem JS nas skills das pessoas candidatas. Portanto, pode-se considerar que a linguagem não sairá das equipes de desenvolvimento tão cedo. 

Vale a pena estudar a linguagem JavaScript?

Se você é iniciante, certamente ouvirá muitas vezes que é importante ter um currículo completo, com certificações em várias linguagens e frameworks, para ser chamado nas melhores vagas. 

Sendo assim, pode-se considerar que vale a pena, sim, estudar JavaScript, visto que a linguagem ainda é bastante atual e cobrada nas entrevistas de emprego. Vemos, portanto, que além da linguagem, é fundamental conhecer os frameworks JavaScript, como o jQuery, Angular/Angular.js e React.js. 

E só para reforçar esse argumento, JavaScript é a linguagem de programação mais popular do mundo. Isso segundo o relatório da empresa Stack Overflow, realizado em 2020. 

Além disso, em 2016 ela era muito utilizada no desenvolvimento de websites. Estudos indicavam que mais de 96% dos websites utilizavam JavaScript há alguns anos. 

Outro dado indica que 48% das empresas do mundo precisam de pessoas desenvolvedoras de JavaScript e somente 42% das pessoas entrevistadas tinham essa habilidade, conforme levantamento feito pelo portal Hacker Rank.

Salários 

Mas uma dúvida que paira entre os(as) developers é se o salário pago no mercado é compensador. Desse modo, um levantamento do Glassdoor indica que o salário médio nacional de Desenvolvedor(a) JavaScript é de R$ 4.057 no Brasil. Contudo, esse valor pode ser diferenciado conforme a empresa e o nível de experiência do(a) DEV. 

Conclusão 

Encerramos então mais um artigo sobre linguagens de programação falando sobre a linguagem JavaScript. Você pôde ver o quanto ela é requisitada no mercado e pode ser útil na sua carreira como developer. 

Então, que tal conferir a página de vagas de emprego da Coodesh para sondar como está o mercado para developers com JS no currículo? 

Aproveite e se candidate nas vagas que preferir, criando sua conta gratuita na plataforma. Somos a Coodesh, uma startup de recrutamento tech que acelera a contratação de profissionais de tecnologia nas empresas com a entrega de pessoas candidatas capacitadas e aprovadas nas etapas do nosso processo seletivo. Faça parte da nossa base.

Contratar desenvolvedor Pleno: dicas para acertar no recrutamento

Rust: tudo o que você precisa saber para começar