Dicas para recrutar e contratar desenvolvedor pleno

Contratar desenvolvedor pleno: dicas para acertar no recrutamento

Contratar desenvolvedor pleno: dicas para acertar no recrutamento
Contratar desenvolvedor pleno: dicas para acertar no recrutamento

Você está buscando contratar desenvolvedor pleno? É bom lembrar que este(a) profissional é mais independente e pode assumir projetos sozinho, mas também é mais caro que o Júnior. De modo geral, a empresa só tem a ganhar, pois contará com um(a) desenvolvedor com prática no mercado tech e com a garantia de aumento de performance em pouco tempo. 

Na maioria das empresas, o desenvolvedor pleno tem de 2 a 4 anos de experiência. Embora somente a experiência não seja motivo para considerar um(a) DEV como Júnior, Pleno ou sênior. Portanto, veja mais detalhes neste post. 

O que é considerado um desenvolvedor pleno?

O que a empresa espera ao contratar um(a) developer do nível pleno? Provavelmente, você responderá que é mais agilidade e resultados. 

Isso ocorre porque a produtividade e a qualidade do serviço dependem (também) da experiência do(a) profissional. No entanto, os resultados também estão relacionados às soft skills da pessoa candidata. 

Enfim, muitas pessoas que têm até 4 anos de experiência comprovada ou por contrato, conseguem ter uma ótima desenvoltura. Mas, na prática, como comprovar isso na hora do recrutamento tech? 

Uma boa dica é investir na análise comportamental. Por conta disso, recorra a testes comportamentais, como o DISC (que avalia o perfil de forma rápida e precisa), mas sem deixar de lado as habilidades técnicas e a formação acadêmica.

Deu para perceber que a missão é um tanto difícil, não é mesmo? Isso ocorre porque a área de Recursos Humanos não é uma ciência exata e é bastante dinâmica. 

Outro detalhe é que a pessoa candidata pode ter todas as qualificações para a vaga de nível Pleno. Entretanto, não consegue se expressar bem no currículo e na entrevista. Desse modo, é muito importante não fazer pré-julgamentos e perceber quando o(a) candidato(a) pode dar mais do que aparenta. 

Em síntese, contratar desenvolvedor pleno é olhar diretamente para os anos de experiência da pessoa inscrita no processo seletivo. Mas não é apenas isso.  

O que um desenvolvedor pleno tem a oferecer?  

Portanto, se você está à frente de um processo seletivo para contratar desenvolvedor Pleno confira algumas características deste(a) profissional que podem ser bastante úteis para a empresa. 

  • independência e autonomia; 
  • domínio de ao menos uma linguagem de programação e seus paradigmas. Exemplo: domínio em javascript ou typescript.  
  • domínio de ao menos 2 frameworks (um praticante e outro domínio básico). Exemplo: em front-end o developer já constrói aplicações em react.js e sabe o básico de vue.js;
  • acompanhar todo o processo, do começo ao fim; 
  • domina comandos GIT sem precisar de auxílio;
  • domina comandos SQL;
  • tem uma boa base lógica de programação e estrutura de dados;
  • ter atuado anteriormente com metodologia ágil – Scrum; 
  • consegue orientar programadores juniores e estagiários; 
  • deixar os códigos de programação mais eficientes; 
  • desenvolve orientado a testes – TDD;
  • conseguir resolver bugs de baixa e média complexidade. 

À medida em que o DEV Pleno está mais inteirado com a empresa e com o projeto, ele consegue assumir tarefas mais complexas, pedir menos ajuda do DEV Sênior e ainda ajudar a comandar outras pessoas da equipe. 

Sendo assim, um(a) DEV Pleno consegue resolver mais coisas sozinho, baseado(a) em seu conhecimento e experiência. E quando não sabe a resposta de pronto, ele sabe os macetes para encontrar a solução no Google ou no Stack Overflow. 

Quanto ganha um desenvolvedor pleno? 

Como você leu até aqui, contratar desenvolvedor pleno resolve boa parte dos problemas da empresa, concorda? 

O detalhe é que os salários são intermediários e podem variar muito mais em diferentes regiões do Brasil ou mundo. A média salarial de desenvolvedor júnior ou programador sênior costuma variar menos e ter valores mais similares em todas as regiões do Brasil. Sendo assim, é importante ter uma previsão orçamentária, organização financeira e vendas recorrentes para garantir o pagamento dos salários desses DEVs. 

Uma sondagem das vagas para DEVs Plenos mostra que o salário pago é, em média, de: 

  • Front-end Developer Pleno: R$ 5.000 a R$ 8.100 (CLT) + Benefícios.
  • Back-end Developer Pleno: R$ 5.550 a R$ 9.000 (CLT) + Benefícios. 
    Full-stack Developer Pleno: R$ 6.700 a R$ 9.500 (CLT) + Benefícios. 
  • Mobile Developer Pleno: R$ 7.000 a R$ 9.760 (CLT) + Benefícios. 

No caso do developer contratado como PJ, essa média deve ser multiplicada por 1.6 ou 1.8 para se chegar ao valor médio do mercado. A diferença se explica no fato de os contratados via contrato PJ têm menos benefícios trabalhistas que os colegas do regime CLT. 

contrate desenvolvedores
Precisando de desenvolvedores pleno? Acesse developers com as habilidades que sua empresa busca. Falar com consultor agora!

Como atrair e recrutar desenvolvedores do nível pleno? 

De modo mais amplo, contratar developers tem sido um desafio por causa do crescimento na procura por DEVs. Enfim, o próprio desenvolvimento tecnológico tem aumentado a demanda desses perfis. Dessa maneira, é preciso criar estratégias para encontrar pessoas desenvolvedoras do nível Pleno. 

Uma delas é divulgar as vagas da empresa em canais de interesse dos(as) developers. Por essa razão, recorra às comunidades de DEVs, ao LinkedIn e às plataformas de recrutamento tech, como a Coodesh, que explicaremos mais à frente. 

A segunda forma é trabalhar o employer branding da sua marca. Dessa maneira, não importa o tamanho da sua organização, a atração de pessoas desenvolvedoras será mais ágil. 

O terceiro ponto é dar informações claras sobre a vaga. Isso porque é importante esclarecer, desde o princípio, os requisitos da vaga, as informações sobre a empresa, a forma de contrato (CLT ou PJ), o formato de trabalho (presencial, remoto ou híbrido) e o salário, se for possível. 

Sobretudo, deve-se deixar claro como está a fase atual da empresa, o que se espera com a contratação do(a) desenvolvedor(a) Pleno e as vantagens de pertencer ao time. Assim, se a empresa estimula a formação de novas habilidades, tem um ambiente colaborativo, entre outros aspectos, vai atrair os talentos tech. 

Conclusão 

Como você viu aqui neste artigo, avaliar e contratar desenvolvedor Pleno é vantajoso para a empresa, pois você terá uma equipe produtiva e que alcançará os resultados esperados. 

Além disso, você poderá mesclar seu time com developers Júnior e Sênior, dependendo da posição da função. Desse modo, para garantir fluidez aos trabalhos e evitar retrabalhos, aposte nos(as) profissionais do nível Pleno. 

O que achou desse conteúdo? Pretende fazer isso em sua empresa? Me manda uma mensagem com o seu contato NESTE LINK, falando das suas expectativas e projetos de contratações de desenvolvedores em nível Pleno. Vamos fazer esse bate papo acontecer 🚀.

Somos uma plataforma especializada em avaliação, recrutamento e seleção de desenvolvedores em níveis júnior, pleno ou sênior – full-time. Temos um time de especialistas em talentos que ajudam no suporte e hunting de candidatos na plataforma.

Saiba mais acessando a nossa plataforma em: Comece a contratar DEV Pleno agora.

Ajude um(a) amigo(a) compartilhando esse conteúdo no seu LinkedIn 😉.

Escrito por Gabriel Ferreira

Co-fundador/COO na Coodesh, Bacharel em Sistemas de Informação, empreendedor, especialista em produto e desenvolvedor de software. Ajudo recrutadores e CTOs a automatizar o processo de avaliação técnica através da plataforma Coodesh com desafios alinhados as reais demandas do mercado tech.

O que é Firebase?

Linguagem JavaScript: saiba o que é, como funciona e para que serve