in

O que é POO em programação?

Você já deve ter se deparado com este termo, não é mesmo? Mas afinal, o que é POO? Basicamente, o POO é a Programação Orientada a Objetos e consiste num paradigma de linguagem de programação.

Assim como em outras áreas, existem diferentes caminhos para se chegar ao mesmo resultado. Portanto, no universo do desenvolvimento de softwares isso também acontece.

E um desses caminhos é o POO. A diferença, no entanto, é que o POO é o mais popular entre os developers. Isso porque ele suporta várias linguagens e vai além do desenvolvimento, sendo o ponto de partida de análises em geral.

Por que fala-se em orientação a objetos?

O objeto é, na verdade, uma aglutinação de estados e comportamentos. Conceitualmente falando, um objeto é um elemento que representa alguma entidade, quer seja abstrata quer seja concreta, da área de interesse do problema que está sendo analisado.

Portanto, esse paradigma aproxima o mundo real do mundo virtual. Mas o que é interessante entender é que para dar suporte à definição de “objetos” criou-se a definição de classes.

Em síntese, a classe é um conjunto de objetos com características em comum. E é justamente a classe quem define o comportamento do objeto. E o comportamento, por sua vez, é definido por métodos (ação) e atributos (características).

Sendo assim, todos os conceitos da POO (igualmente importantes) são baseados nesses dois iniciais, que são objetos e classes.

Quais são os principais pilares da POO?

Não importa a leitura que você faça sobre o que é POO, você sempre encontrará referência aos 4 pilares desse paradigma. Quer saber quais são eles? Veja a seguir.

  1. Herança: como o próprio nome diz, a herança passa de “pai” para “filho” na escrita do código. Portanto, no objeto principal há vários atributos e métodos que podem originar-se de um atual objeto (pai) para a geração de um novo código (filho).
  2. Polimorfismo: nesse pilar, um objeto se passa por outro em determinadas circunstâncias, conforme as decisões do próprio Dev que está executando o projeto.
  3. Encapsulamento: na prática, o encapsulamento esconde detalhes da implementação do código, conforme os interesses de cada projeto.
  4. Abstração: nesse pilar, representa-se o objeto de forma abstrata, embora muitos também considerem a abstração como uma união entre os conceitos de encapsulamento e de polimorfismo.

Quais são as linguagens da Programação Orientada a Objetos?

Como você viu até aqui, a POO é um paradigma de programação. Esse modelo, portanto, surgiu na década de 70, e se tornou o mais popular entre as pessoas desenvolvedoras.

Nesse sentido, a POO suporta muitas linguagens de programação, entre elas:

  • C++;
  • C#;
  • Java;
  • Object Pascal;
  • VB.NET;
  • Objective-C;
  • Python;
  • Ruby.

Em suma, é raro encontrar uma linguagem de programação que não suporte POO.

Conclusão

Para concluir, agora que você sabe mais sobre o que é POO, pode imaginar que é um tema que exige estudos mais profundos, especialmente se você estiver ingressando agora no mundo da programação.

Essa, inclusive, é uma das skills solicitadas nos requisitos de vagas para Devs divulgadas na plataforma da Coodesh. Por falar nisso, aproveite para conhecer as empresas que anunciam conosco e fique por dentro do mural de vagas do site clicando aqui.

Aproveite para ler também outros temas apresentados na editoria de Dicionário Tech do blog da Coodesh.

Escrito por Gizele Silva

Formada em jornalismo, sou apaixonada por comunicação e tecnologia, além de adorar descobrir as soluções que o marketing de conteúdo traz aos negócios.

Coordenador de RH: qual o seu papel no recrutamento tech?

Por que você não está conseguindo contratar talento tech?