in

Employer Branding: exemplos de como atrair e reter talentos tech

Escalar um time altamente produtivo dá trabalho. Mas os resultados são compensadores. Por isso, muitas empresas investem em Employer Branding: exemplos não faltam! Aproveite para conferir as boas práticas adotadas nas organizações e tente adaptá-las ao seu negócio.

Primeiramente é bom entender que o Branding (gestão de marca) já é um velho conhecido nas organizações. E que o Employer Branding (marca do empregador) vem reduzindo os custos de contratação e aumentando a produtividade da equipe.

Afinal de contas, com essa prática quem está fora quer entrar e quem está dentro quer se manter. Haja vista os processos seletivos de empresas como Google, L’Oréal e Netshoes, que têm desenvolvido boas práticas de Employer Branding.

Isso porque essas organizações demonstram valorizar cada funcionário (a), além de estimular o seu desenvolvimento pessoal e profissional.

O que é Employer Branding?

Antes de entender melhor o conceito de Employer Branding é importante relembrarmos o que é Branding.

Branding: segundo a Resultados Digitais, Branding é um conjunto de ações alinhadas ao posicionamento, propósito e valores da marca. O seu objetivo, portanto, é “despertar sensações e criar conexões conscientes e inconscientes que serão cruciais para que o cliente escolha a sua marca no momento de decisão de compra do produto ou serviço”.

Já o Employer Branding, equivalente a um “primo” do Branding, é direcionado ao (à) funcionário (a), desde o momento do recrutamento até o seu desligamento na empresa.

Employer Branding: em uma tradução livre quer dizer “marca do empregador”. O conceito baseia-se no uso de estratégias e ferramentas que visam gerar uma percepção positiva da empresa como empregadora.

Mas o interessante é que essa percepção não se constrói da noite para o dia. Assim como o Branding, os resultados são alcançados a médio e a longo prazo. Contudo, é importante criar um planejamento, utilizar métricas e definir metas para acompanhar a performance das medidas adotadas. Isso porque o objetivo é melhorar a gestão da marca como empregador.

Como atrair talentos na área tech?

É bom lembrar que o conceito de Employer Branding pode ser aplicado em qualquer segmento. Porém, a área tech merece um capítulo especial nesse tema. Afinal, o setor de tecnologia está na contramão dos números da economia.

Aliás, enquanto sobram trabalhadores e faltam vagas no mercado de trabalho, forçando inclusive a alta na taxa do desemprego, a área de TI e desenvolvimento está em expansão.

Considerando este cenário, até 2024 o Brasil demandará 420 mil trabalhadores (as) da área tech. A estimativa faz parte do levantamento da Brasscom (Associação Brasileira das Empesas de Tecnologia da Informação e Comunicação). Mas, enquanto isso, apenas 46 mil profissionais se formam por ano na área tecnológica.

Com efeito, como atrair pessoas desenvolvedoras nesse cenário que é tão peculiar? O Employer Branding desponta como um aliado dos (as) recrutadores (as). Em suma, aproveite para conferir algumas dicas para enaltercer a sua marca e, como consequência, atrair pessoas candidatas interessadas na sua organização.

Seja transparente

Um dos pilares do Employer Branding é a transparência. Enfim, os (as) funcionários (as) querem entender os pontos fortes e fracos da empresa para saber onde estão pisando. Além disso, quem está de fora quer conhecer a organização para saber o que lhes reserva caso um dia trabalhem na companhia.

Engaje tod@s da equipe

Deixar os funcionários e funcionárias de fora das estratégias da organização é um erro, porque eles e elas se sentem desvalorizados e tratados (as) apenas como números. Por essa razão crie formas de estimular as opiniões e participações da equipe na construção da sua empresa. Outro detalhe é divulgar entre as pessoas da equipe os números do faturamento atual e do pretendido, pois assim todos se sentem responsáveis pelas metas.

Invista em comunicação visual

Uma imagem fala mais que mil palavras? Se isso é mesmo verdade, é importante investir em imagens da equipe para que tod@s se sintam lembrados e representados. Você já notou que muitas empresas usam o quadro próprio de colaboradores (as) para anunciar um novo produto ou falar dos valores da marca? Que tal propor isso na sua próxima reunião de planejamento?

Esteja presente em todas as plataformas

Ainda falaremos sobre página de carreiras neste artigo, mas você já reparou como muitas companhias divulgam suas vagas em sites que não são otimizados para mobile? Parecem se esquecer que 98,1% das pessoas acessam a internet pelo celular (segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas). Por conta disso, fortaleça a presença das suas ações de Employer Branding no smartphone.

Employer Branding: exemplos de como fazer bem feito

A atenção ao (à) colaborador (a) deve se dar em todas as etapas, desde o recrutamento ao desligamento

Trouxemos aqui alguns exemplos de Employer Branding para você tentar seguir o mesmo caminho na sua empresa ou adaptá-los ao que já existe. Acompanhe e deixe seu comentário ao final do artigo.

Netshoes

A Netshoes reviu sua maneira de lidar com o público interno. Primeiramente fez um diagnóstico do momento, alinhou a situação com a visão do fundador e, em seguida, definiu os principais valores. A partir disso, a Netshoes criou campanhas de comunicação interna destacando cada um desses valores. A estratégia foi bem absorvida pelos (as) colaboradores (as) que passaram a interagir mais e melhor com a marca enquanto empregadora.

L’Oréal

A L’Oréal optou por reforçar as suas redes sociais. Dessa forma, investiu em conteúdo e em campanhas patrocinadas a fim de aumentar o tráfego. A partir de então, quando as suas redes sociais já estavam num nível de engajamento interessante, a marca criou espaços para oportunidades de recrutamento.

Bosch

A Bosh investiu no programa The Remarkables que utiliza gamificação para engajar os (as) colaboradores (as). Além disso, também tem programa de estágio para desenvolver talentos para a própria marca. Outro destaque é que a companhia incentiva a troca de experiências com funcionários (as) de outros países, o que é possível por ela ser uma multinacional. Assim como a L’Oréal, a Bosh fortaleceu as suas redes sociais e criou uma página específica para a divulgação de vagas.

Movile

Voltado mais especificamente para a área tech, o grupo Movile criou programas para atrair talentos tech. Entre eles estão o MovileNext, que é um curso de capacitação gratuito para developers. Além disso, há o MovileHack, que é um hackthon que alcançou três edições entre 2018 e 2019. O ecossistema é formado por empresas como iFood, MovilePay e Sympla, atraindo o interesse de devs de várias partes do mundo.

Grupo Boticário

Com o sugestivo título de “eu faço bonito” a página de carreiras do Grupo Boticário traz depoimentos de colaboradores (as), muitas imagens atrativas e todas as informações sobre como se candidatar às vagas da empresa.

IBM

Mais antiga, a IBM conseguiu se atualizar e desenvolver uma linguagem mais informal para atrair talentos tech. Na sua página de carreiras, a marca usa uma comunicação mais casual e explora bastante a emoção nos vídeos, mostrando relatos de funcionários (as) em todas as suas etapas de carreira.

Etsy

A Etsy, e-commerce voltado ao artesanato e com sede em Nova York, aposta na emoção para tratar dos programas da empresa que são voltados ao bem-estar dos funcionários. É impossível não se emocionar, por exemplo, com o vídeo que divulga a ampliação da licença-maternidade das funcionárias. Assista aqui.  

Starbucks

A rede de cafeterias Starbucks adotou as mídias sociais para recrutar novos talentos, criando a hashtag #sbuxjobschat. Assim, os interessados nas oportunidades podem se comunicar de forma simples e rápida pelo Twitter e Instagram.

E, então, gostou do Employer Branding: exemplos adotados pelas grandes empresas multinacionais? O mais interessante é que a maioria delas usa as estratégias de redes sociais, que são recursos disponíveis para empresas de qualquer porte.

Além disso, criam páginas de carreira onde usam a criatividade para atrair pessoas candidatas que estejam alinhadas à cultura da empresa.

Como reter talentos com os exemplos de Employer Branding?

Além de atrair colaboradores (as) qualificados (as), é preciso mantê-los (as)

Como abordamos no início deste artigo, o Employer Branding não se resume apenas em atrair talentos, mas também em retê-los. Nesse sentido, é importante criar uma percepção positiva da marca empregadora no quadro de funcionários (as) em todo o seu ciclo dentro da organização, ou seja, desde o recrutamento até o desligamento ou aposentadoria.

Há empresas, por exemplo, que entregam mimos na casa dos (as) recém-contratados (as), como doces e flores, como sinal de boas-vindas. Certamente, geram uma percepção positiva.

Contudo, os laços devem ser mantidos em todos os ciclos de vida do (a) funcionário (a). Aliás, o que você precisa saber é que as etapas do (a) colaborador (a) dentro da empresa são bem distintas. Confira:

  • recrutamento;
  • onboarding;
  • desenvolvimento;
  • retenção;
  • offboarding.

Nesse sentido, há empresas que possuem pessoas responsáveis pela recolocação no mercado de trabalho dos (as) ex-colaboradores (as) nos meses seguintes ao desligamento. Essa atitude demonstra a preocupação com o bem-estar e a segurança financeira do (a) ex-funcionário (a), que certamente se sente grato (a).

Sendo assim, confira abaixo as vantagens do Employer Branding para empresas e colaboradores (as):

Vantagens

Empresas

  • ter conhecimento pleno dos propósitos, valores e objetivos;
  • conseguir definir métricas e KPIs de contratação;
  • reduzir a taxa de turnover;
  • retenção de talentos;
  • redução dos custos com recrutamento (até 43% menos, segundo pesquisa do LinkedIn).

Colaboradores (as)

  • menor rotatividade de empregos;
  • mais estabilidade financeira;
  • maior engajamento com a empresa e a equipe;
  • poder participar de planos de carreira e crescer profissionalmente;
  • trabalhar em um ambiente agradável.

Conclusão

Adotar boas práticas de Employer Branding: exemplos existem em vários segmentos. E, o melhor, é que não é preciso ter um alto faturamento para aplicá-los. Como você notou, com um site de carreiras e uma página nas redes sociais é possível atrair candidatos (as) qualificados (as) para a sua empresa.

No que se refere à área tech, as agências de assessoria em recrutamento e seleção são uma forte aliada das organizações. Isso porque elas também trabalham a divulgação da marca empregadora.

Sendo assim, um exemplo de Employer Branding é adotado pela Coodesh juntamente a seus clientes. Para quem não sabe, a Coodesh é uma startup que acelera a contratação de DEVs de todas as carreiras, com ferramentas inteligentes e entrevistas técnicas criteriosas para filtrar as pessoas mais qualificadas do mercado.

Uma das estratégias da atração de talentos na Coodesh é o desenvolvimento de Marketing Content de clientes por meio de publicações sobre a marca no blog e nas redes sociais. Como consequência, a essência da marca é levada ao maior número de pessoas possível, principalmente aos (às) candidatos (as).

Portanto, para saber mais sobre os serviços de Employer Branding da Coodesh e os demais serviços agende uma videochamada conosco. Clique no link do formulário.

Escrito por Gizele Silva

Formada em jornalismo, sou apaixonada por comunicação e tecnologia, além de adorar descobrir as soluções que o marketing de conteúdo traz aos negócios.

mulheres na tecnologia

Mulheres na tecnologia: um mercado a ser desbravado

Recrutamento tech: quais são as principais dores das empresas?