Transição de carreira na área de programação: vale a pena?

Transição de carreira era um assunto distante para você até um tempo atrás, mas agora você está desejando mudar de ares? Vários motivos levam uma pessoa a querer mudar de profissão. Pode ser uma mudança total ou praticamente na mesma área, aproveitando os conhecimentos acumulados ao longo de anos. 

De maneira geral, a transição de carreira na área da programação vem sendo mais procurada nos últimos tempos. Sabe por quê? 

É devido ao aquecimento do mercado para developers ou DEVs, como são mais conhecidos. Para você ter uma ideia, um levantamento feito pela Catho identificou que a abertura de vagas para determinados cargos cresce. 

O aumento foi de 157% para pessoa desenvolvedora ADVPL, 144% para desenvolvedor(a) C# e 107% para Web Developer. Esse cenário se deu principalmente após o início da pandemia, entre março e agosto de 2020. Afinal, os serviços on-line foram intensificados e, desse modo, o mercado exigiu mais desenvolvedores(as). 

Além das vagas em alta, os salários também são atrativos. Mas se você ainda tem pouco conhecimento e experiência, é bom esperar para ter acesso à faixa salarial de pessoas Pleno ou Sênior. No início, o salário é mais baixo. Mas depois de dominar bem a tecnologia escolhida, você pode até passar de R$ 10 mil. 

E, então, ainda está animado para fazer a transição de carreira? Saiba mais alguns detalhes e receba dicas de como tornar esse processo mais tranquilo. 

O que é transição de carreira? 

A transição de carreira é uma mudança de movimento na trajetória profissional. Você fecha o ciclo de uma profissão e abre outro, seja na mesma cidade, de forma remota ou em outra região e país. 

Geralmente, ela ocorre após os 30 anos de idade, que é quando a pessoa já fez faculdade, trabalhou por anos e, por um motivo ou vários, não está mais satisfeito. 

Então, ela começa a buscar outras opções de carreira e chegam ao plano B, ao plano C e assim por diante até encontrar algo que realmente cause um brilho nos olhos e um bom retorno financeiro. 

A transição de carreira está relacionada a fatores externos, como a desvalorização da profissão no mercado, até internos, como a decisão pessoal de mudar. 

Dicas para quem deseja fazer transição de carreira 

Qualquer mudança de emprego mexe com o nosso lado emocional, financeiro e intelectual, já que é preciso aprender coisas novas, se adaptar a uma diferente cultura empresarial e encarar desafios inéditos. 

Imagine, então, a transição de carreira. Por isso, ela deve ser planejada e ser feita com os pés no chão. Para te ajudar, trouxemos algumas dicas. Acompanhe! 

  • Busque estratégias de diferenciação, começando pela sua experiência; 
  • Desenvolva novas habilidades e competências a partir de conhecimento formal e prático. 
  • Entenda claramente seus motivos, responda a si porque está mudando de carreira; 
  • Faça um plano de desenvolvimento de carreira pessoal, identifique onde você está e onde quer chegar; 
  • Invista em sua formação porque, inevitavelmente, você precisará fazer uma pós-graduação ou novos cursos; 
  • Pesquise sobre o mercado de trabalho, encontre pontos positivos e negativos da nova profissão que deseja seguir; 
  • Potencialize o networking nos ambientes digitais, aliás, o LinkedIn é uma ótima opção; 
  • Preocupe-se com a construção da sua carreira, siga passo a passo o seu cronograma de crescimento profissional; 
  • Prepare-se financeiramente, pois você poderá ter redução salarial em um primeiro momento.

Quais as áreas mais valorizadas da programação?

Se a sua transição de carreira está prestes a ocorrer na área de programação, fique atento às profissões que estão em alta. 

Não é novidade que a tecnologia está em tudo. Aliás, o Fórum Econômico Mundial (organização sem fins lucrativos com sede na Suíça) desenvolveu o relatório chamado The Future of Jobs que já mostra a tendência pela automatização e a necessidade de mais profissionais de tecnologia atuantes.

Em 2018, quando o estudo foi publicado, a proporção era de 71% de horas de trabalho realizadas por humanos e 29% por máquinas. Até 2025, o cenário deverá ser invertido. 

Mas, ao contrário do que muitos imaginam, muitos empregos serão extintos, porém, vários outros serão criados, ou seja, 58 milhões de vagas em todo o mundo, para ser mais exato. 

E a grande maioria dessas vagas será preenchida por equipes tech. Saiba agora as funções ligadas à tecnologia que serão mais demandadas até 2025, segundo o relatório:

  • Analista de dados
  • Cientista de dados
  • Desenvolvedor de aplicativos
  • Desenvolvedor de softwares
  • Especialista em e-commerce
  • Especialista em redes sociais

Além destas citadas, outras profissões novas e especializadas ganharão destaque, como: 

  • Analistas de segurança da informação
  • Designers de experiência do usuário e interação homem-máquina
  • Engenheiros robóticos
  • Automação de processos
  • Big Data
  • Blockchain
  • Inteligência artificial
  • Machine learning

Como se tornar um desenvolvedor depois dos 30?

A pesquisa Stack Overflow 2021 identificou que a maioria dos developers de todo o mundo tem entre 25 e 34 anos de idade. Veja a faixa etária mais presente entre os DEVs que participaram da pesquisa. 

  • Menos de 18 anos: 6,52% 
  • 18 a 24 anos: 25,47%
  • 25 a 34 anos: 39,52%
  • 35 a 44 anos: 18,42% 
  • 45 a 54 anos: 6,64% 
  • 55 a 64 anos: 2,21%
  • Mais de 65 anos: 0,51% 
  • Não responderam: 0,7% 

Portanto, se você tem mais de 30 anos, saiba que ainda pode fazer a transição de carreira e virar programador(a) ou desenvolvedor(a). 

Mas é importante seguir um planejamento de desenvolvimento de carreira. Nesse sentido, confira dicas de sucesso para fazer a sua transição e ingressar na área de DEVs. 

  • Defina a área de atuação;
  • Estude muito, faça cursos a distância e presenciais; 
  • Monte um bom currículo; 
  • Valorize as suas referências profissionais; 
  • Seja flexível, aceite mudanças;
  • Esteja disposto a sacrifícios, já que inicialmente você poderá ter redução salarial. 

Como procurar emprego como desenvolvedor? 

Depois de ter estudado e feito um currículo bem bacana, é preciso procurar emprego em empresas e startups. 

Por essa razão, também é importante traçar uma estratégia. Você pode se candidatar nas páginas de carreira das organizações. 

Mas o jeito mais rápido e simples é pelas plataformas de recrutamento tech, como a Coodesh. 

A Coodesh é uma startup remota de recrutamento tech. Ajudamos developers a validarem suas habilidades por meio de testes técnicos e análise do perfil comportamental. 

Além disso, você tem oportunidades no LinkedIn e nas comunidades tech das redes sociais. 

Conclusão 

Você viu neste artigo que a transição de carreira é uma saída para quem está insatisfeito com a sua atual profissão. Além disso, uma boa escolha é a área de programação, já que a oferta de vagas no mercado é maior que a demanda de profissionais. Outro ponto favorável é a faixa salarial do desenvolvedor, que pode passar de R$ 10 mil para profissionais dos perfis Pleno e Sênior. 

Sendo assim, que tal pesquisar como estão as vagas para desenvolvedores(as) na nossa plataforma? Acesse a página de vagas abertas pelas empresas na Coodesh e participe da nossa comunidade.

Veja dicas para começar a carreira de DEV Mobile Flutter

O que é Code Smell?