Scorecard e Matriz de Competências: como usar para contratar os melhores desenvolvedores

scorecard e matriz de competências

Scorecard e Matriz de Competências são ferramentas essenciais para o HR Tech moderno. Afinal, você já se perguntou como aprimorar suas técnicas de recrutamento para encontrar os melhores desenvolvedores? A partir desses dois recursos, você assume a direção do recrutamento. Além disso, foca sua triagem no perfil que mais se encaixa nas necessidades da vaga e da equipe. 

Sendo assim, o Scorecard pode lhe dar subsídios sobre o perfil da pessoa candidata, ao passo que a Matriz de Competências direciona sua ação para as lacunas que você deseja preencher no seu time. 

Mas o que vem primeiro? Ou será que as ferramentas podem caminhar lado a lado? Acompanhe este artigo e saiba como encontrar as melhores pessoas para a sua vaga. 

O que é Scorecard?

O Scorecard é uma ficha de autoavaliação preenchida pela pessoa candidata. Ele é um recurso aplicado pela Coodesh em sua base de desenvolvedores inscritos na plataforma. 

Desse modo, quando um candidato vindo pela Coodesh chega até o seu processo seletivo, é possível saber o nível de conhecimento dele nas principais stacks e metodologias exigidas para a carreira em questão. 

Como você pode notar na autoavaliação, o candidato informa o seu grau de conhecimento, ou seja, se é considerado Básico, Praticante ou Avançado. Mas, você pode estar pensando: “e se o candidato mentir sobre seu conhecimento apenas para passar na seleção?”. Na verdade, isso pode ser identificado na fase de entrevista técnica e de testes técnicos realizados pela Coodesh. 

LEIA TAMBÉM

Code Assessment Platform: conheça plataformas para testar desenvolvedores

Em suma, se o candidato informa que é nível Avançado em REST API, ele será validado na fase de testes. Lembrando que pode ocorrer o caminho inverso: sua vaga exigir “Lógica e Complexidade em Algoritmos”, o candidato apontar conhecimento “Básico” e, no teste, demonstrar conhecimento “Avançado” pelos nossos avaliadores. 

No entanto, se você como tech recruiter não utilizar o serviço da Coodesh no recrutamento, saiba que também é possível criar um Scorecard e identificar os principais talentos dos desenvolvedores candidatos à vaga em aberto. A vantagem, no entanto, é de utilizar o Scorecard da Coodesh sem precisar sair da plataforma para analisar as candidaturas. 

O que é Matriz de Competências? 

Mas, de modo geral, como saber as skills mais desejadas para a vaga em aberto na sua empresa ou startup? 

Através da Matriz de Competências, é possível desenhar um perfil ideal que o ajudará a selecionar o melhor desenvolvedor ou programador desde o início do processo, ou seja, a partir da descrição da vaga. 

Em suma, a Matriz de Competências se constitui numa planilha onde você coloca o nome do colaborador e o seu nível de domínio das principais skills exigidas para a vaga que ocupa. Desse modo, é possível explorar as habilidades de toda a sua equipe. 

Para ficar mais claro como usar essa ferramenta, veja como montar uma Matriz de Competências. 

Como o próprio nome indica, comece montando uma matriz, que pode ser feita em uma planilha de Excel. Vamos dar uma olhada? 

  • Coloque o nome dos colaboradores da equipe de desenvolvimento na primeira coluna da esquerda; 
  • Preencha as demais colunas, à direita, com as skills mais desejadas para o setor, como, por exemplo, linguagem utilizada, framework e metodologia. 
  • Em seguida, coloque à frente de cada nome o nível de conhecimento/domínio da habilidade. 

Dessa maneira, ao olhar na horizontal você terá uma clara percepção de como está o nível de conhecimento de cada colaborador. Enquanto isso, ao olhar na vertical, você verá as lacunas que precisa preencher dentro da equipe. 

Mas como conhecer o desempenho de cada colaborador para preencher uma Matriz de Competências o mais fiel possível à realidade? A resposta está no Scorecard, que é uma ferramenta poderosa tanto antes quanto depois da contratação. 

Quais as vantagens de usar Scorecard e Matriz de Competências? 

Como dissemos no início, usar as ferramentas de Scorecard e Matriz de Competências irá aprimorar seu processo de recrutamento e seleção. Isso porque você saberá exatamente do que precisa no preenchimento das vagas, bem como terá subsídios para avaliar o colaborador após a contratação. 

Não custa nada lembrar que o nível de conhecimento e domínio das habilidades muda com o passar do tempo. Afinal, se o desenvolvedor fizer um curso na área em que estava mais carente, ele já poderá aumentar o seu grau de conhecimento na stack em específico. 

De modo geral, o uso do Scorecard e Matriz de Competências apresenta vantagens que podem ser exploradas pelo tech recruiter. Vamos dar uma olhada nelas? 

  • Maior assertividade na contratação de novos profissionais; 
  • Pleno conhecimento do nível atual dos colaboradores e da equipe como um todo; 
  • Indicativos para a entrevista técnica; 
  • Fundamentação para criação de PDIs (Plano de Desenvolvimento Individual); 
  • Subsídios para o Plano de Cargos e Carreiras; 
  • Informações para embasar a criação de um plano de investimento em novos cursos de capacitação; 
  • Maior clareza das ações. 

Como você pode ver, o uso dessas duas ferramentas pode deixar o seu processo seletivo mais assertivo, mas também refletir-se no onboarding e ao longo do ciclo do seu colaborador dentro da organização. 

Desenvolva um onboarding estratégico 

A partir do conhecimento do perfil do novo contratado, é possível criar um onboarding estratégico, aliás, essa etapa é muito importante para a retenção de talentos. 

Uma pesquisa do Glassdoor, por exemplo, identificou que um processo de onboarding completo e eficiente é capaz de aumentar a retenção de talentos em até 82%. 

Portanto, para quem não se lembra, onboarding (que significa embarcar) é o processo de integração do novo colaborador à equipe. Afinal, o que fazer nesta etapa? Confira alguns procedimentos importantes: 

  • Planeje a jornada do onboarding, incluindo os dias de duração e o que fazer em cada dia; 
  • Comece o onboarding logo após a pessoa candidata aceitar a vaga e as condições; 
  • Faça uma boa apresentação da empresa; 
  • Prepare um kit de boas-vindas; 
  • Defina um responsável para tirar todas as dúvidas do recém-contratado; 
  • Dê feedback conforme o ritmo de aprendizagem das ferramentas e da cultura da empresa. 

Em suma, não descarte esse momento, pois ele será o primeiro passo de uma jornada de sucesso do seu colaborador e, consequentemente, da sua empresa. 

Crie um plano de Upskilling 

Analise bem: se você já conhece as necessidades da sua equipe através da Matriz por Competências e se já explorou o perfil dos colaboradores por meio do Scorecard, então é hora de reunir tudo isso e criar um plano de desenvolvimento, que é o chamado Upskilling. 

Aliás, o termo está em alta ultimamente nas empresas. Você já ouviu falar? 

Em síntese, ele consiste em aprimorar as habilidades dos membros da sua equipe para que eles se tornem profissionais melhores. 

Sendo assim, se você identificou que sua equipe de desenvolvimento tem baixo nível de conhecimento na metodologia Scrum, por exemplo, que tal promover um treinamento nesta área, com metas e prazos tangíveis para serem alcançados? 

Isso pode ocorrer por meio de treinamento presencial, on-line ou com o microlearning, que é representado por treinamentos rápidos em vídeos de 5 a 10 minutos por um determinado período de tempo. 

VEJA TAMBÉM: 

Motivos para utilizar a Coodesh no recrutamento tech

O upskilling também pode voltar-se para tecnologias e treinamentos novos, que até então o seu colaborador não tinha domínio. Por exemplo, se surgir um cliente novo que demande um projeto com a linguagem Rust, o plano de upskilling pode contemplar um curso nesta área. 

No entanto, é bom acrescentar que o upskilling não deve ficar apenas sob responsabilidade e atenção da empresa, mas sim do colaborador. Afinal, ele também será beneficiado com a melhoria do seu currículo. Desse modo, a proatividade é uma virtude. 

Conclusão 

O Scorecard e a Matriz por Competência se complementam. Assim, essas ferramentas se unem a outras já adotadas no seu RH de forma estratégica, como o onboarding e o upskilling, como apresentamos neste conteúdo. 

Com os dois primeiros é possível ter uma visão clara das competências da sua equipe, identificando pontos de melhoria. Além disso, é possível promover novas ações para despertar os talentos atuais e conquistar novos. 

Lembrando que o colaborador também precisa estar disposto a essa jornada, pois ela é uma soma de esforços. Nesse sentido, esse despertar pode ser verificado ainda antes da contratação, com um bom teste comportamental. 

Gostou das dicas de como usar o Scorecard e a Matriz de Competências no seu processo seletivo? 

Você pode ter acesso a outras ferramentas na plataforma Coodesh. Contrate desenvolvedores de forma rápida e segura clicando aqui

Escrito por Gabriel Ferreira

Co-fundador/COO na Coodesh, Bacharel em Sistemas de Informação, empreendedor, especialista em produto e desenvolvedor de software. Ajudo recrutadores e CTOs a automatizar o processo de avaliação técnica através da plataforma Coodesh com desafios alinhados as reais demandas do mercado tech.

como avaliar habilidades de desenvolvedores

Como avaliar habilidades de desenvolvedores?

autoconfiança - como conquistar

Autoconfiança: como aumentar a sua em práticas diárias