in

O que é API?

Você já ouviu falar sobre o que é API? Certamente sim. Afinal, o termo está presente na maioria das descrições de vagas de emprego na área tech. Além disso, é um item fundamental dentro do mundo da programação.

Em suma, a definição de API está ligada a um conjunto de padrões de programação e rotinas que promovem a conexão de aplicativos e sistemas. Portanto, pode-se usar a API no padrão HTTP ou off-line, no Windows, por exemplo.

O certo é que desde a utilização das APIs, houve um aumento das possibilidades de uso de sites e aplicativos. Que o diga o e-commerce, que pode integrar diferentes serviços. É o que ocorre, por exemplo, com o Mercadolivre, que pode integrar sistemas de pagamento com a ajuda também das APIs.

Então, é hora de acompanhar o que é API no tema de hoje do Dicionário Tech do blog da Coodesh. Acompanhe a leitura.

O que significa o termo API?

O termo API significa Application Programming Interface ou, em português, Interface de Programação de Aplicativos.

Funciona da seguinte maneira: quando uma empresa de software deseja que outros desenvolvedores criem produtos associados ao seu serviço, ela cria APIs e disponibilizam seus códigos.

É o caso, portanto, do Google Maps. Enfim, vários sites e aplicativos disponibilizam o serviço de localização por GPS. Assim, quando você entra no site de uma loja e deseja visitar o ponto físico, você clica em seções como “onde estamos” e imediatamente entra no sistema do Google Maps. Assim, você não precisa ir até o seu aplicativo de localização, digitar manualmente o endereço e, assim, encontrar a loja.

Portanto, com o uso de APIs todos ganham: empreendedores, criadores de conteúdo, prestadores de serviços e usuários.

O mais curioso é lembrar, nesse sentido, que o usuário não precisa saber que está conectado a um serviço ou funcionalidade desejada através de um API. Afinal, isso já está integrado ao sistema. Uma pessoa leiga em desenvolvimento não percebe essa utilização.

Dessa forma, a comunicação é feita através de códigos e permissões, facilitando a vida de quem utiliza smartphones e sites no dia a dia, seja no lazer, no estudo ou no trabalho.

Mas, só complementando, a API não está relacionada somente aos serviços web. Isso porque os sistemas operacionais também possuem essa funcionalidade.

Um bom exemplo é o Windows. Ele, por sua vez, possui APIs como a Win16 API, Win32 API e a Telephony API.

É possível enviar e receber dados com mais segurança?

Até aqui, já deu para perceber o que é API, não é mesmo? Mas quais são os principais tipos? É possível enviar e receber dados com a mesma segurança? Confira mais detalhes deste tema.

Primeiramente, lembre-se que a transmissão de dados é considerada segura devido aos mecanismos intrínsecos à API. Eles permitem múltiplas conexões.

Seguindo esse cenários, existem 3 tipos de API a saber:

APIs de integração

Como o próprio nome sugere, permite que os aplicativos trabalhem em conjunto, apesar de ter fornecedores diferentes. Dessa forma, páginas de e-commerce com diferentes sistemas de pagamento são um bom exemplo de APIs de Integração.

APIs de leitura e modificação de dados

Elas são bastante comuns no dia a dia. Acessamos as APIs de leitura e modificação de dados quando, por exemplo, abrimos um editor de texto ou uma imagem, cuja visualização é permitida ao usuário.

APIs de integração com hardware

Quando baixamos um aplicativo, respondemos na tela se daremos acesso a sensores de localização, de vídeo e de áudio, por exemplo. Enfim, o acesso é possível porque o sistema iOS e Android contêm APIs de integração com o hardware.

Quais os principais tipos de API?

Além das diferenças quanto à forma de utilização, existem 3 tipos básicos de API quanto ao seu formato:

  • Privadas: utilizadas internamente numa empresa;
  • Públicas: podem ser utilizadas livremente;
  • Parceiras: utilizadas entre parceiros, permitindo assim a integração de softwares.

Outro detalhe a ser observado é que você deve estar acostumado a visualizar o termo Rest API nas habilidades descritas nas vagas de emprego na área tech.

Nesse sentido, é bom ressaltar que Rest significa Representational State Transfer. Na prática, ele é um conjunto de restrições que são utilizadas a fim de que as requisições do protocolo HTTP atendem os preceitos da arquitetura na web.

Concluindo, ao entender o que é API você consegue identificar que ele é um conjunto de requisições que circundam a integração entre diferentes aplicações. Tudo isso com segurança e facilidade para o usuário final.

Continue acompanhando os termos do nosso dicionário tech e aproveite para conhecer melhor a Coodesh. Somos uma startup de recrutamento tech totalmente remota que insere no mercado profissionais capacitados em várias tecnologias e com múltiplas habilidades, como a API.

Conheça nossos serviços e nossas vagas postadas diariamente na nossa plataforma. Aproveite para seguir a nossa página no LinkedIn e se aprimorar ainda mais.

Escrito por Gizele Silva

Formada em Jornalismo pela UEPG e especialista em Mídia e Política. Experiência de 18 anos em jornalismo diário. Desde 2017, atua com Marketing de Conteúdo. Atualmente, sou produtora de conteúdo da Coodesh.

Templates de vagas tech: como criar descrições de cargos mais atraentes

Desenvolvedor(a) PJ: tire suas dúvidas sobre como prestar serviço como DEV