in , ,

Tudo o que você precisa saber para contratar estagiários na área de tecnologia

Está pensando em contratar estagiários (as) na área de tecnologia para a sua empresa ou startup? Então, fique atento às dicas deste artigo. Isso porque você precisa tomar cuidado com a legislação e, ao mesmo tempo, ganhar produtividade.

Por isso, é bom lembrar que as pessoas estagiárias devem seguir a uma série de regras no que diz respeito à contratação. Além disso, eles (as) não podem ter as mesmas responsabilidades de um (a) funcionário (a) “normal”.

Contratar estagiários na área de tecnologia é vantajoso para o (a) estudante ou recém-formado (a) porque a pessoa pode colocar em prática o que aprendeu na faculdade só que dentro de um ambiente real.

A empresa, por sua vez, pode treinar o (a) profissional conforme a necessidade do negócio. Além disso, ela pode economizar, pois o salário da pessoa estagiária é bem menor que o do (a) profissional formado (a).

Mas será que o setor de desenvolvimento precisa tomar cuidados especiais na contratação de estagiários (as)? Acompanhe as dicas do próximo tópico.

Detalhes importantes ao contratar estagiários na área de tecnologia

Na maioria das profissões, o estágio é o período no qual o estudante testa seu aprendizado teórico em situações do cotidiano de uma empresa.

Contudo, quando falamos em engenharia de software, a curva de aprendizado é um pouco mais longa por causa da complexidade da área.

Sendo assim, não se aprende programação da noite para o dia nem de um mês para o outro.

Embora haja pessoas que trabalham no mercado de desenvolvimento sem um diploma universitário porque aprenderam por si só, a maioria dos developers começa fazendo uma faculdade.

Graduações

Os estagiários vêm, principalmente, das graduações de Computação ou Sistemas de Informação. O estágio é positivo, pois serve para complementar as horas. E para quem é recém-formado (a), vê o estágio como uma forma de adquirir experiência para se lançar de vez no mercado de trabalho.

Nesse sentido, a pessoa estagiária da área tech precisa de um (a) mentor (a) no local de trabalho. Na prática, o (a) profissional sênior irá concentrar seus esforços para treinar o (a) estagiário (a) nas linguagens necessárias.

É justamente por isso que os gestores devem ter um planejamento ao contratar estagiários na área de tecnologia. Isso porque é preciso prever que a empresa deverá abrir mão de um developer em alguns momentos da sua jornada de trabalho para liderar o (a) estagiário (a).

O prazo de adaptação varia, podendo se estender de semanas a meses. É certo que a pessoa estagiária vai melhorando aos poucos, mas que é preciso ter paciência e foco nos resultados.

Por isso, veja mais alguns detalhes a serem observados:

  • capriche na produção dos requisitos da vaga, com uma comunicação clara e direta, a fim de encontrar os candidatos ideais;
  • antes de contratar uma pessoa estagiária, faça uma seleção à altura da necessidade da empresa;
  • avalie o perfil comportamental do (a) candidato (a);
  • cheque referências anteriores (se houver).

Com disciplina e foco, em breve, a pessoa estagiária será tão produtiva quanto o restante da equipe.

Mas um dos primeiros passos é contratar estagiários na área de tecnologia de forma legalizada. Nesse sentido, leia o próximo tópico para ficar por dentro do tema contratação de estagiários.

Como contratar estagiários na área de tecnologia de forma legal

É preciso prever que haverá um (a) mentor (a) para acompanhar a pessoa estagiária

Pesquisas mostram que contratar estagiários (as) pode gerar economia de até 50% na folha de pagamento das empresas. Isso porque o modelo de contratação é diferenciado.

O salário ou bolsa-auxílio de um estagiário na área de programação no Brasil gira em torno de R$ 1.206,00, segundo o site Vagas.

Dessa forma, ele é baseado na Lei Federal 11.788/08, que dispõe sobre o estágio de estudantes. Basicamente, a contratação é regida pelo Termo de Compromisso de Estágio. O documento deve apresentar os seguintes dados:

  • ser assinado por um (a) representante da instituição de ensino, por um (a) responsável pelo negócio e pelo (a) estudante;
  • conter as características das atividades que serão desempenhadas, as responsabilidades das partes, o horário de trabalho, o período de intervalo, o valor da bolsa, a concessão de benefícios e de vale-transporte, além do número da apólice de seguro (se houver).

Além de tudo isso, é importante observar que o número de estagiários deve ser proporcional à quantidade de colaboradores. Sendo assim, verifique a tabela abaixo:

  • 1 estagiário: de 1 a 5 funcionários;
  • 2 estagiários: de 6 a 10 funcionários;
  • até 5 estagiários: de 11 a 25 funcionários;
  • 20% de estagiários: se a empresa possuir mais de 25 funcionários (as).

Já em relação à jornada de trabalho, o (a) estagiário (a) pode seguir o seguinte cronograma:

  • 4 horas diárias ou 20 horas semanais;
  • 6 horas diárias ou 30 horas semanais;
  • 8 horas diárias ou 40 horas semanais (apenas para alguns cursos com estágio obrigatório).

Estágio deve durar, no máximo, dois anos

Pela lei que rege o estágio, o processo pode durar no máximo dois anos. Sendo assim, após esse período as empresas podem dispensar a pessoa estagiária ou contratá-la definitivamente.

Nesse sentido, muitas empresas da área tech preferem treinar e preparar seus futuros líderes do que contratar profissionais que trazem “vícios” dos empregos anteriores.

Entretanto, deve-se lembrar que cada caso precisa de análise. Isso porque um processo de orientação consistente é muito importante. Você precisa verificar não somente as habilidades técnicas do (a) estagiário (a), mas também o perfil comportamental.

Portanto, é preciso estar atento a detalhes, como, se a pessoa estagiária está integrada à equipe, se ela trabalha em harmonia com o superior imediato e se ela tem perspectivas de crescer profissionalmente.

Dicas para empregadores

Empresas e startups que queiram apostar no talento dos estagiários na área de desenvolvimento devem ficar atentos para não cair em alguns erros, como:

  • oferecer estágios não remunerados, pois isso impacta negativamente na percepção das pessoas quanto à marca;
  • apressar o processo de recrutamento, já que é importante encontrar os melhores talentos com testes e tarefas dentro do seu tempo; 
  • esperar que os estagiários saibam tudo, além disso, é importante ter “estagiários” e não “escraviários” que fazem tudo na empresa.

Dicas para estagiários

Se mostrar interessado nos projetos a longo prazo é muito importante
  • ser interessado por todos os setores da empresa, não apenas pela área tech;
  • gostar de desafios;
  • ser proativo;
  • se oferecer para participar de projetos a longo prazo, quem sabe assim fica mais difícil para a empresa dispensá-lo (a) após o fim do estágio.

Para concluir o artigo, é importante mencionar que para contratar estagiários na área de tecnologia também é interessante contar com a ajuda de especialistas em seleção e recrutamento.

Por isso, a Coodesh é uma startup preparada para atender empresas de todos os portes que necessitem de talentos tech para compor suas equipes. A Coodesh utiliza ferramentas de inteligência artificial para análise de candidatos. Além disso, conta com profissionais capacitados para o recrutamento tech.

Para conhecer melhor o serviço e anunciar sua vaga para estagiário na plataforma da Coodesh, acesse agora mesmo o site e mande uma mensagem com suas dúvidas.

Escrito por Gizele Silva

Formada em Jornalismo pela UEPG e especialista em Mídia e Política. Experiência de 18 anos em jornalismo diário. Desde 2017, atua com Marketing de Conteúdo. Atualmente, sou produtora de conteúdo da Coodesh.

Qual é o papel de um headhunter no recrutamento tech?

Como avaliar diferentes perfis de DEVs