Soft Skills em Tech: explore as habilidades mais desejadas pelas empresas

soft skills em tech

Por muito tempo, os processos seletivos na área tech focaram nas habilidades técnicas, ou seja, nas hard skills. Entretanto, nos últimos cinco anos, a bola da vez são as soft skills em tech. Mas por quê? Confira neste conteúdo porque os recruiters estão olhando cada vez mais para as suas habilidades comportamentais e saiba como se sair bem numa entrevista. 

É claro que não há uma resposta pronta quando o assunto é soft skills em tech, mas o certo é que muitos candidatos são reprovados porque não têm as habilidades comportamentais desejadas para a vaga ou ainda porque não estão alinhados ao fit da empresa. 

Então, será que é hora de rasgar os diplomas e certificados? Certamente, não. Mas vale a pena refletir e aprimorar suas skills. Afinal, as soft skills não servem apenas para ocupar uma boa posição no mercado de trabalho. Mas, sobretudo, indica mais qualidade de vida e controle das suas emoções. 

O que é soft skill? 

Cada pessoa tem suas características pessoais. Uns são mais introvertidos, outros mais falantes. Uns são líderes natos, outros trabalham melhor no setor operacional. 

E não há nada de mal nisso. Afinal de contas, não existe um perfil comportamental melhor que o outro. Isso porque vários perfis diferentes se complementam nas tarefas de uma empresa. Portanto, têm o seu valor dentro da corporação. 

Mas vamos entender mais a fundo o termo soft skill. Ele foi criado em meados dos anos 60, pelo exército norte-americano. A palavra era usada para designar as atividades que eram diferenciadas da lida com o maquinário do exército. Portanto, estava mais relacionada à habilidade de relacionamento interpessoal dos soldados. 

Com o passar do tempo, o termo foi emprestado pelo mundo corporativo e acabou ficando. Mas há quem prefira usar a denominação people skills. Isso porque ela também está relacionada às características pessoais, mas sobretudo às sociais. 

Além disso, o termo “soft” pode passar a impressão de que é “leve” e “fácil” trabalhar para desenvolver nossas habilidades pessoais. 

Qual a importância das soft skills em tech? 

Num mercado tão dominado pelas ciências exatas, por que é importante se atentar a qualidades pessoais, de relacionamento humano e de autoconhecimento? 

É clichê dizer que as empresas contratam por hard skills e demitem por soft skills (ou a falta delas). Mas o interessante é notar que cada vez mais delegamos tarefas à automatização. No entanto, não podemos substituir as relações humanas. E para que essas relações sejam harmoniosas, é preciso trabalhar o lado emocional. 

Assim como a tecnologia se inova, com atualizações constantes de frameworks e novas linguagens de programação, as habilidades comportamentais também mudam de tempos em tempos. 

Segundo um estudo do Fórum Econômico Mundial, que se chama The Future of Jobs, a cada cinco anos as habilidades desejadas pelo mercado mudam. Sendo assim, o que se desejava alguns anos atrás já foi substituído por outros traços da personalidade. 

Portanto, em um ambiente competitivo, embasado na inovação e na criatividade, é preciso se renovar constantemente. Com certeza, esse mindset exige pessoas mais motivadas, otimistas e preparadas para novos desafios. 

Quais as soft skills em tech mais desejadas? 

As empresas de tecnologia têm em comum não apenas o desejo da escalabilidade, mas também algumas soft skills que podem contribuir para o cumprimento dos indicadores. 

Desse modo, para você que é desenvolvedor ou desenvolvedora, separamos algumas people skills mais requisitadas nas empresas. Confira! 

Flexibilidade

O quão flexível você é diante de uma migração de tecnologia no seu emprego? Ou então perante a alteração no formato de trabalho, passando do home office para o presencial? A flexibilidade diz muito sobre a adaptabilidade do funcionário em um processo de mudança. 

Exigência do meio

Também chamado de IEM (Índice de Exigência do Meio), esse conceito está ligado ao quanto você suporta as pressões do meio em que o negócio está inserido, como cobranças, concorrência, prazos, feedbacks negativos, entre outros. 

Capacidade de ouvir 

A chamada escuta ativa está ligada à sua habilidade de prestar atenção nas instruções e fazer perguntas sobre o que não entendeu. Tudo isso visando o melhor cumprimento da tarefa. 

Detalhismo

A pessoa detalhista quer fazer as coisas bem feitas. Portanto, ela não se prende ao perfeccionismo, que pode ser negativo se não for controlado. O desenvolvedor detalhista, por exemplo, vai se atentar ao cumprimento do código limpo e à documentação das suas tarefas, contribuindo com o compartilhamento de informações dentro da equipe. 

Proatividade 

Para que esperar o problema acontecer? O proativo é aquele que trabalha com uma cultura de prevenção, se antecipando às demandas, às tendências e às soluções que podem ser benéficas para o negócio. Se errar, a pessoa proativa aprende com os seus próprios erros. 

Sociabilidade 

A sociabilidade é uma das soft skills em tech mais importantes quando estamos falando do trabalho em equipe. Afinal, mesmo em startups pequenas, é fundamental comunicar-se com os membros do time. Essa habilidade não exige extroversão do profissional, mas sim a iniciativa de se comunicar com clareza, abertura e simpatia. 

Competidor

O profissional competidor, normalmente, tem um perfil executor, que é aquele que tem foco e determinação para fazer entregas de qualidade e alcançar suas metas pessoais. As startups desejam profissionais com essa skill porque isso demonstra uma pessoa motivada e que almeja crescer, inspirando outras pessoas da equipe. 

Administrador 

Entre as soft skills em tech desejadas pelas startups e empresas de tecnologia está a qualidade de ser administrador. Pessoas administradoras sabem gerenciar seu tempo, priorizar as tarefas mais significativas da sprint, utilizar bem os recursos que tem e, assim, obter mais resultados positivos. 

Motivador 

O que acontece quando a empresa realiza uma call ou reunião presencial com profissionais desmotivados? Este profissional sempre tece comentários negativos diante de mudanças. Ou ainda ele pode permanecer inerte diante de uma conquista da empresa ou da equipe. Até mesmo nas crises, o desenvolvedor com perfil motivador estimula o time a crescer. Ele pode reverter momentos negativos em degraus para o aprendizado e o crescimento. 

Vendedor 

As empresas desejam pessoas com perfil vendedor não apenas para o departamento comercial. Isso quer dizer que os desenvolvedores podem apresentar-se com perfil vendedor, ou seja, que estão motivados a entenderem as dores do cliente e apresentar melhorias no produto. 

Estrategista

Em se tratando de ambiente de inovação, não é preciso ocupar um cargo de liderança para ser estrategista. Por essa razão, o profissional com essa soft skill acaba se sobressaindo por ter o olhar voltado às melhores soluções para o produto, está sempre ligado nas tendências e é firme na sugestão de melhorias. 

Podcast aborda soft skills em tech 

Dada à importância das soft skills em tech no mercado de startups e empresas, o podcast Hipsters.tech trouxe o tema em um dos episódios sobre tecnologia. O co-founder da Coodesh, Gabriel Ferreira, foi um dos convidados. 

Ouça o podcast AQUI.

O podcast foi conduzido por Paulo Silveira e também contou com Tatiana Di Rienzo (criadora da Remotar), Priscila Stuani (product owner da Escola de Gestão e Inovação da Alura), Renata Tedesco (founder da Huntz) e Ana Ribeiro (tech recruiter na Alura). 

Paulo Silveira começou lembrando que nos últimos anos o tema ganhou muita relevância em todas as carreiras tech. 

Devido a mudanças no perfil das carreiras, com a ampliação do leque de atuação, juntamente com novas ferramentas de trabalho, as equipes ficaram ainda mais multidisciplinares. Mas para que todos atuem em harmonia, é preciso trabalhar as soft skills. Isso porque muitos comportamentos podem ser treinados, como autogerenciamento do tempo e liderança. 

Gabriel Ferreira lembrou que o perfil autodidata e o autogerenciamento são muito buscados pelas empresas atualmente, principalmente nas equipes remotas. Para identificar essas características, bem como outros traços do perfil do desenvolvedor, a Coodesh oferece um teste comportamental em seu produto. Portanto, os desenvolvedores da base (já inscritos na plataforma) e os que se candidatam às vagas anunciadas pelas empresas respondem a um questionário que leva à identificação de mais de 50 soft skills. 

Os convidados também abordaram que os desenvolvedores que querem se destacar nas entrevistas devem saber que a análise começa muito antes de ligar a câmara na hora da call. Indicadores como o tempo de entrega de um teste técnico, a disponibilidade em atender ao tech recruiter e os exemplos de vivências no ambiente de trabalho, dados na hora da entrevista, ajudam a pessoa recrutadora a conhecer as habilidades dos interessados na vaga. 

Conclusão 

As soft skills em tech podem criar times com maior desempenho. Para isso, a iniciativa de desenvolvimento de habilidades comportamentais desejadas no mercado pode partir do desenvolvedor, mas também da empresa, com treinamentos e planos de desenvolvimento de talentos. 

A Coodesh é uma startup de code assessment que pode te ajudar a conquistar o emprego dos sonhos. Clique neste link e conheça nossa plataforma.

Escrito por Gizele Silva

Formada em jornalismo, sou apaixonada por comunicação e tecnologia, além de adorar descobrir as soluções que o marketing de conteúdo traz aos negócios.

o que é hibernate

O que é Hibernate?

teste comportamental

Como e por que realizar o teste comportamental na Coodesh?