Cultura de diversidade: como implantar na sua organização

cultura da diversidade

Nos últimos anos vêm ocorrendo mudanças nas práticas de Recursos Humanos a fim de melhorar os processos de atração, retenção e engajamento de talentos nas organizações. Isso porque está cada vez mais desafiador para o setor conseguir atrair os melhores talentos do mercado para dentro das empresas.

No entanto, incluir a diversidade nos processos de recrutamento e seleção, não é assim tão fácil. Com a implantação da Lei nº 8213/91, conhecida como a Lei de Cotas, muitas empresas abriram suas portas para a inclusão de pessoas com deficiências.

Porém, essa é só uma face da diversidade e mesmo as empresas que cumprem os indicadores da lei, muitas vezes não possuem uma cultura de diversidade interna. Afinal incluir vai muito além de apenas cumprir uma cota, diz respeito a fazer parte.

Além disso, a diversidade passa essencialmente por uma quebra de paradigmas e preconceitos que abre espaço para todos. 

Se você quer saber mais sobre esse tema tão relevante, continue comigo, que nas próximas linhas vamos abordar todos os detalhes da diversidade no recrutamento e seleção.

E também vamos falar sobre:

  • O que é diversidade?
  • Entenda a cultura da diversidade
  • Passo a passo para implantar a cultura da diversidade na sua organização
  • Tendências e novidades da diversidade no recrutamento e seleção

Então vamos lá!

O que é diversidade?

Primeiramente, a diversidade está relacionada ao conceito de variedade, em outras palavras, criar um ambiente de trabalho onde todos possam fazer parte. 

De acordo com o dicionário, diversidade pode ser definida como:

Diversidade é a reunião de tudo aquilo que apresenta múltiplos aspectos e que se diferenciam entre si. Por exemplo: diversidade cultural, diversidade biológica, diversidade étnica, linguística, religiosa etc.

Sendo assim, vamos olhar para os  processos tradicionais de recrutamento e seleção. Quais são os primeiros questionamentos realizados aos candidatos? Se é casado(a), se tem filho, idade, e assim por diante, não é mesmo?

Agora eu lhe pergunto: qual é a relevância destas informações quando a intenção é contratar o profissional mais capacitado para uma determinada vaga? Geralmente acabamos rotulando os profissionais e deixando as competências de lado.

É cada vez mais difícil captar os melhores talentos do mercado. Se analisarmos como exemplo a área da tecnologia, os melhores talentos desejam flexibilidade e autonomia para desenvolver seus projetos. 

Assim criar uma cultura de diversidade em sua empresa pode ser determinante para que você tenha sucesso em seus processos de recrutamento e seleção e consiga atrair os melhores talentos do mercado.

Entenda o que é a cultura de diversidade

Agora que você compreendeu o conceito de diversidade, vamos entender o significado da cultura de diversidade. 

Na verdade, a cultura de diversidade é uma construção constante, que permite que todos os aspectos da empresa estejam organizados para receber e incluir pessoas diferentes. Porém, ainda vivemos em um país permeado de preconceitos onde este processo é lento e difícil.

Já presenciei casos em que os recrutadores instigam os candidatos a expor sua vida pessoal, para saber a qual sua religião, os lugares que frequentavam e assim por diante. Como se a fé ou o gosto musical influenciassem as competências do profissional.

Por isso, implantar uma cultura de diversidade nos processos de recrutamento e seleção não é tarefa fácil, mas a boa notícia é que é sim possível e pode agregar muito para à sua empresa.

Benefícios da cultura da diversidade para a organização

A diversidade estimula a interação entre diferentes indivíduos, com experiências de vida diferentes e principalmente como diferentes visões de mundo. O que pode ser um aprendizado enriquecedor, uma vez que podemos perceber o mundo com outro olhar.

A cultura da diversidade pode trazer resultados bastante consistentes para o ambiente de trabalho, a exemplo:

  • Atrair e reter os melhores talentos do mercado;
  • Promover a inovação e criatividade;
  • Facilitar a resolução de problemas;
  • Ampliar a flexibilidade interna;
  • Melhorar os indicadores de produtividade da equipe;
  • Estimular a criatividade e a inovação.

Assim a cultura da diversidade pode abrir muitas portas, uma vez que é cada vez mais comum que os profissionais de destaque no mercado queiram trabalhar em empresas verdadeiramente preocupadas com o bem-estar e a satisfação de suas equipes.

Passo a passo para implantar a cultura da diversidade na sua organização

Como já falamos, a cultura de diversidade pode trazer diversos benefícios para a sua empresa. E embora seja desafiador construir um ambiente propício para a diversidade, é uma realidade possível.

1 – Faça um diagnóstico 

O primeiro passo é realizar um diagnóstico da sua organização. Será que a sua empresa está realmente preparada para a diversidade? Por exemplo, a cultura interna oferece abertura para a chegada de pessoas com perfis e ideias diferentes?

Vejamos, por exemplo, se a sua equipe de trabalho tem um perfil ideológico e comportamental muito similar, talvez seja necessário, iniciar por programas de conscientização e avaliar a reação da equipe para as mudanças pretendidas.

Somente após uma avaliação criteriosa será possível avaliar os pontos que precisam ser trabalhados e que ações podem ser planejadas para iniciar o processo de implantação.

2 – Avalie a cultura organizacional

Para criar uma cultura de diversidade, é necessário que a empresa possua um ambiente receptivo e livre de preconceitos, onde os princípios da inclusão e diversidade possam realmente ser aplicados.

Comece analisando os documentos corporativos, analise, adapte e modifique se necessário. Depois capacite e apresente as diretrizes da empresa aos colaboradores.

3 – Desenvolva políticas inclusivas

Antes de iniciar o processo de diversidade na organização é necessário estar preparado. Políticas inclusivas são essenciais para a implantação aconteça de forma eficiente. 

Além disso, durante o processo podem ocorrer divergências e condutas inadequadas, então é importante ter clareza de quais caminhos seguir nestes casos. 

4. Verifique os modelos de recrutamento e seleção

É através dos processos de recrutamento e seleção que as pessoas chegam à sua empresa. Então é essencial que os modelos utilizados sejam adequados para atrair todos os perfis.

De nada adianta a construção de uma política interna, se o processo de recrutamento não estiver aberto para receber o diferente. Como já falamos anteriormente, alguns questionamentos são irrelevantes, o processo deve focar em conhecer as competências reais dos candidatos.

Continue acompanhando! A seguir vamos falar mais sobre as tendências e novidades que podem lhe auxiliar neste processo.

5 – Defina indicadores chaves para a inclusão

É importante avaliar os resultados do processo de implantação. Assim defina indicadores que sejam capazes de avaliar os impactos das mudanças na organização. E analise criticamente os resultados.

Se a sua empresa não está atraindo pessoas diferentes para seus processos seletivos, talvez a imagem externa não seja condizente com as políticas apresentadas. Então vale a pena a reflexão.

Tendências e novidades da diversidade no recrutamento e seleção

Como vimos até aqui, abraçar a diversidade não é uma tarefa fácil, e são muitos desafios que os profissionais, principalmente da área de Recursos Humanos enfrentam diariamente. 

Mas a boa notícia é que já existem métodos que podem auxiliar nesse processo e facilitar o processo de diversidade no recrutamento e seleção.

Auxílio da Inteligência Artificial (IA) 

Cada vez mais a Inteligência Artificial (IA) faz parte da vida das empresas. No processo de recrutamento e seleção, ela pode auxiliar leitura e classificação de currículos, na seleção de candidatos e até responder automaticamente profissionais interessados.

Mas como isso tudo pode auxiliar no processo de diversidade? Simples, todos nós temos nossas crenças e valores e, ao realizar um processo de seleção, acabamos muitas vezes incluindo nossas percepções na escolha dos melhores candidatos. 

Com auxílio da IA, esse julgamento de valores não acontece, sendo que serão selecionados realmente os melhores profissionais para a função.

Processo seletivo “às cegas”

Ainda com o auxílio da IA, muitas empresas estão optando pelos processos seletivos às cegas, ou seja, não existe um contato físico no primeiro momento com os candidatos. 

Nesse modelo todo o processo de triagem é realizado automaticamente, são aplicados testes de habilidades e conhecimentos. A empresa somente conhece os profissionais na etapa final de contratação.

Assim temos um processo de recrutamento totalmente livre de preconceitos e aberto a todos os tipos de pessoas. O foco do processo seletivo as cegas são as competências do profissional.

Apostas no Employer Branding

O Employer Branding, ou marca empregadora, é um conceito que busca atrair os melhores profissionais para a sua empresa. Pode ser um grande aliado dos recrutadores, já que para ter uma empresa aberta a diversidade é necessário que os profissionais queiram trabalhar nela.

No entanto, para que seja efetiva, a empresa precisa ser autêntica e mostrar como realmente funcionam e quais são suas políticas, somente assim, ela irá atrair o olhar dos profissionais mais cobiçados do mercado.

Conclusão

Criar uma cultura de diversidade na organização, se você deseja que sua empresa consiga atrair os melhores talentos do mercado. E para isso é necessária a construção de um planejamento estratégico que priorize a diversidade.

Os processos de recrutamento e seleção estão cada vez mais desafiadores, e de nada adianta uma política de inclusão para contratação, se a imagem que a empresa apresentada ao mercado não transmite essa realidade.

Cadastre-se agora mesmo e comece a avaliar e recrutar desenvolvedores remotos gratuitamente para a sua empresa

Escrito por Franciele Ghizzoni

Publicitária, formada pela UNOESC, especialista em Gestão Escolar pela FURB e em Administração de Recursos Humanos e Gestão de Pessoas pela UnC - Concórdia. Experiência de 10 anos em gestão de equipes e liderança, processo de Recrutamento e Seleção, Treinamento e Desenvolvimento, Ambiência e Rotinas Trabalhistas. Atualmente, é Head de Recrutamento na Coodesh, com foco no gerenciamento de ciclos de recrutamento e seleção de profissionais da área de tecnologia.

Employer Branding: como construir sua marca e atrair talentos tech

Como se tornar desenvolvedor Back-end Python