in ,

Carreira: veja o perfil de back-end developer em Java

Você sabe o que um back-end developer em Java deve faz? Bom, se ainda não sabe, continue a leitura e saiba mais sobre a carreira em uma das linguagens mais populares no mundo do desenvolvimento.

Java é a famosa linguagem representada pela xícara de café. Aliás, o café é considerado o combustível do desenvolvedor, não só do back-end, como também do front-end.

Para quem não se lembra muito bem, ou ainda, não sabe, o DEV back-end desenvolve a parte funcional do programa ou aplicativo. O front-end developer é, então, responsável por toda a interface de usuário.

Qual é a história do Java?

Java é uma linguagem de programação que foi desenvolvida em 1991 em um projeto chamado Green Project. No entanto, apenas em 1995 o Java foi lançado pela Sun Microsystems.

Essa linguagem estava, sem dúvida, à frente do seu tempo. Portanto, com o estouro da internet, o Java passou a ser a linguagem com mais aderência de público. Aliás, surpreendentemente, essa linguagem se propagou de forma rápida, tanto que em 2004 o número de usuários dessa plataforma era de 3 milhões de desenvolvedores.

Em 2006, a empresa até então responsável pela linguagem de programação Java decidiu tornar a plataforma um software livre. Em 2007 esse processo, enfim, foi finalizado. Dessa forma, o desenvolvedor back-end não precisaria pagar pelo uso da linguagem.

Atualmente a linguagem pertence à Oracle Corporation. A empresa Sun Microsystems foi comprada pela Oracle em 2008, tendo assim o direito pela linguagem.

O que é o Java?

Como dito anteriormente, o Java é uma linguagem de programação. Essa linguagem faz parte do rol de orientadas a objeto. Para que você entenda melhor, precisa compreender o que é uma linguagem orientada a objeto. Entretanto, não se preocupe, pois é simples.

Uma linguagem orientada a objeto considera que todas as ações dela são voltadas a objetos. Assim sendo, o sistema é guiado por uma série de procedimentos relacionados com os objetos em questão.

Ao contrário de outras linguagens atuais, que são compiladas para código nativo, o Java é compilado em um formato diferente, o bytecode. A grande diferença entre o bytecode e o código nativo é que enquanto o código nativo é o mais próximo daquele que o computador entende, o bytecode só pode ser interpretado por uma máquina virtual.

O Java é dividido, de fato, em três tipos, sendo eles o:

  • SE: O SE é o que compõe os recursos mais básicos, utilizada em aplicações desktop, por exemplo.
  • EE: O ambiente de desenvolvimento em EE já é indicado para ambientes mais robustos, voltado para construção de aplicações web e sistemas distribuídos.
  • ME: O ME é voltado para aplicações mobile, como tablet e celulares.

Por que o back-end developer deve usar o Java?

Inegavelmente, a linguagem foi concebida para ser simples e de fácil aprendizado, podendo ser utilizada por programadores iniciantes. Aliás, como dito acima, o Java é uma linguagem orientada a objetos.

O Java possui um suporte bom, de fato. Isso porque conta com uma comunidade com diversos usuários, de diferentes níveis de expertise, que trocam informações e interagem entre si. Assim sendo, acabam por responder às dúvidas e dar sugestões.

Além disso, o Java é de uso gratuito. Por isso, essa linguagem é muito procurada por desenvolvedores back-end de empresas.

Uma outra grande vantagem é que, assim como o PHP, o Java é uma linguagem multi-plataforma. Ou seja, pode rodar em diferentes sistemas operacionais como, por exemplo, o Windows e o Linux.

Além do mais, a linguagem Java possui muitas bibliotecas Open Source. Aliás, grandes nomes criaram muitas dessas, como o Apache e o Google, o que acaba tornando o desenvolvimento em Java muito mais fácil, rápido e barato.

Quais são as tecnologias ou frameworks utilizados junto ao Java?

linguagem desenvolvedor

Você precisa ter ciência de que um back-end developer em Java precisa de uma IDE. Afinal, uma IDE (Integrated Development Environment) ou Ambiente de Desenvolvimento Integrado é um ambiente no qual você desenvolve uma aplicação.

Na IDE, não só é possível desenvolver a sua aplicação, como também contar com recursos que servem para simplificar, de certa forma, esse processo. Sendo assim, alguns códigos que são padrões em todos os tipos de aplicação, como os gets e sets, podem ser feitos automaticamente.

Hoje em dia, as IDEs mais conhecidas e utilizadas para o desenvolvimento de software em Java são, em suma, o Eclipse e o NetBeans.  Em ambos, o ambiente de desenvolvimento possui código aberto e é gratuito.

Além dos ambientes de desenvolvimento distintos, existem vários frameworks como, por exemplo, o Springs, o Struts e o Maven. Eles garantem que o desenvolvimento siga, em princípio, as melhores práticas de software e dão suporte aos desenvolvedores back-end Java no desempenho das suas tarefas.

Quais são os níveis do back-end developer em Java?

Assim como os outros (as) desenvolvedores (as), o back-end developer em Java é classificado de acordo com a sua experiência e conhecimento. Dessa forma, você pode começar como desenvolvedor júnior e terminar como sênior.

Júnior

Se trata daquele profissional da TI recém-formado. Ou seja, que tem pouca ou nenhuma experiência de mercado. Geralmente, ele é supervisionado por um (a) desenvolvedor (a) experiente para que possa mostrar as suas habilidades na área da programação.

O back-end developer júnior pode ficar até 5 anos nessa classificação. No entanto, tudo depende da empresa para a qual você trabalha, do seu aprendizado e mais uma série de fatores.

Aliás, como tarefa, o back-end developer em Java pode receber aquelas consideradas fáceis. Aos poucos, o nível de dificuldade vai aumentando, de acordo com o rendimento do (a) programador (a).

Pleno

O back-end developer pleno apresenta uma experiência de 5 a 10 anos. Ele (a) é capaz de desenvolver as aplicações sozinho (a), assim como tomar suas próprias decisões de acordo com o que a empresa estabeleceu.

Ele (a) pode ser responsável por projetos e já não precisa de tanta ajuda quanto no começo. O back-end developer pleno é aquele (a) que se não sabe de algo, já sabe como procurar. Afinal, a lógica da programação é a mesma, só é preciso saber a linguagem.

Na programação tem diversas formas para se chegar, enfim, a um resultado. Cabe ao back-end developer em Java escolher qual é a melhor para aquela aplicação.

Sênior

O back-end developer sênior pode ter em média 10 anos de experiência. Ele (a) geralmente é aquele (a) profissional chamado (a) para reuniões sobre o desenvolvimento, a fim de escolher as melhores alternativas para o time.

No entanto, para isso não basta ser sênior, ou de qualquer outro nível. Para que consiga avançar além do título é preciso que se esforçar e estudar. Um DEV precisa se manter sempre atualizado.

Além disso, você não precisa saber apenas o Java. Com o Java fica muito mais fácil de aprender outras linguagens orientadas a objetos, como o C#, o PHP, entre outras.

Qual é a carreira do back-end developer em Java?

Um back-end developer em Java, assim como qualquer outro, pode trabalhar em diversas empresas de desenvolvimento. Aliás, é possível exercer a profissão em casa, o conhecido home office, também para empresas.

Há ainda a possibilidade de trabalhar como Pessoa Jurídica, o PJ. Esse DEV oferece os seus serviços para o cliente como se fosse uma empresa oferecendo seus serviços a outra. Para quem deseja uma grana extra, é possível desenvolver trabalhos freelancer.

Como é o salário do back-end developer?

developer
É preciso atrair bons DEVs no mercado

Os salários para um desenvolvedor back-end em Java variam de acordo com seu nível de conhecimento e a sua região. A média de ganhos gira em torno de R$ 2.000 até R$12.500. A média salarial, no entanto, é de R$ 5.086,82.

Com o enorme número de programadores (as) em Java, não é de se surpreender que se possa encontrar, assim, diversas aplicações desenvolvidas nessa linguagem.

Veja alguns cases internacionais que são desenvolvidos em Java:

  • Facebook;
  • Google;
  • LinkedIn;
  • YouTube;
  • Amazon;
  • Twitter.

Quais são os cases nacionais que utilizam o Java?

Menos surpreendente ainda é encontrar diversos cases aqui no Brasil. Afinal, nas universidades uma das linguagens de programação mais ensinadas nos cursos de TI é o Java.

Veja exemplos de cases nacionais:

  • Sicredi;
  • Mercado Livre;
  • Avenue Code;
  • Itaú;
  • Elo7;
  • TOTVS;
  • Locaweb.

Onde encontrar vagas de back-end developer em Java?

Assim como grande parte das vagas para a área da programação, o back-end developer em Java pode achar as vagas em sites de empregos. Nas redes sociais também é possível. O LinkedIn é um bom exemplo.

Da mesma forma, existem sites focados em vagas para desenvolvimento como o Programathor, o Hipsters.jobs, o Geekhunter e o Revelo. Um DEV em Java não fica sem emprego. Aproveite para conhecer a plataforma Coodesh, com a área de vagas para DEVs.

Como avaliar ou contratar o DEV em Java?

Se você deseja, então, desenvolver uma aplicação com o back-end em Java, procure saber o que você espera da pessoa desenvolvedora. Mas se deseja alguém com pleno domínio, contrate um sênior ou pleno. Agora, se está disposto a ensinar, contrate um júnior.

Para avaliar ou contratar, faça pequenos testes. E claro, é preciso ter o bom senso para escolher um teste de acordo com o tempo disponível para o candidato realizá-lo.

Seja um developer Java

O Java é uma ótima porta de entrada para a área da TI. Além do mais, também é uma ótima escolha para quem deseja conhecer outras linguagens. O C#, por exemplo, é uma ótima segunda linguagem para aprender após o Java. A sintaxe das duas é muito parecida.

O importante é que se você deseja se tornar um back-end DEV, não espere que o conhecimento caia de bandeja. Busque-o. Os melhores profissionais são aqueles que estão sempre se atualizando, não esqueça!

Nesse sentido, siga o LinkedIn da Coodesh com vagas e informações valiosas sobre o universo DEV.

Escrito por Especialista Coodesh

Ajudamos a sua empresa a economizar tempo e dinheiro rastreando os melhores candidatos em processos de recrutamento TECH

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carregando...

0

Comments

0 comments

Processo de recrutamento e seleção: veja o passo a passo

7 dicas infalíveis para atrair DEVs para o seu processo de recrutamento tech