Explore dicas de como criar sua marca pessoal como desenvolvedor

criar sua marca pessoal

Criar sua marca pessoal como desenvolvedor é encurtar caminho para conquistar o emprego dos sonhos. Mas também é um reforço para quem deseja empreender na área tech. Contudo, como se destacar em meio à multidão? Com algumas ações simples, mas com resultados a médio e longo prazo, é possível virar referência para outros desenvolvedores e auxiliar a sua comunidade.

A marca pessoal, personal branding ou ainda marketing pessoal sempre existiu, ou seja, esse conceito sempre foi trabalhado entre os profissionais preocupados com a sua imagem pessoal, bem como o seu reflexo no mercado de trabalho.  

Entretanto, com o crescimento das redes sociais, trabalhar a marca pessoal virou quase que uma regra entre os desenvolvedores que têm pretensões de conseguir um bom emprego ou de empreender, seja fundando uma startup ou vendendo um infoproduto. 

Portanto, o desafio está em vencer a timidez, deixar os códigos um pouco de lado e investir em como criar sua marca pessoal. Veja algumas dicas valiosas e práticas neste conteúdo. 

O que é marca pessoal e influenciadora? 

O termo ‘marca pessoal’ não é tão novo. Esse conceito foi apresentado pela primeira vez em 1997 no artigo The Brand Called You, publicado na revista Fast Company. Confira a versão digital aqui. Contudo, ele ganhou força na era das redes sociais. 

Em suma, personal branding ou marca pessoal é um modelo de gestão orientado para a marca pessoal visando o desenvolvimento de um posicionamento estratégico do profissional no mercado. 

Ele é válido para desenvolvedores, médicos, advogados, jornalistas, consultores, designers e qualquer outra área profissional. Portanto, apenas se adapta às exigências e características de cada um dos mercados. 

O principal objetivo do personal branding é criar uma repercussão positiva em torno do nome do profissional, gerando autoridade e angariando seguidores ou leads para o seu nicho. 

Aliás, o Marketing de Influência estuda justamente essa relação entre seguidores e influenciadores. Isso porque os influencers são capazes de atrair leads qualificados para as empresas, pois contam com a confiança dos seus fãs. 

Em resumo, embora criar uma marca pessoal não tenha o objetivo único de atrair seguidores nas redes sociais, isso acaba sendo uma consequência. Hoje temos os nanoinfluenciadores, com cerca de 10 mil seguidores, e os megainfluenciadores, com mais de 1 milhão de inscritos em seus canais e páginas. E não faltam exemplos de desenvolvedores influenciadores digitais, como você pode conferir neste conteúdo

Qual a importância do personal branding para o desenvolvedor? 

Mas, afinal, o desenvolvedor precisa criar sua marca pessoal para quê? A resposta pode até ser simples, mas impacta em uma série de situações. 

Basicamente, o desenvolvedor com um bom posicionamento no mercado consegue as melhores vagas de emprego e, assim, realiza seus sonhos materiais e vence seus desafios pessoais.

Além disso, ele assume novos desafios que lhe motivam a buscar ser cada vez melhor na sua profissão. Isso sem contar as contribuições feitas na carreira dos desenvolvedores iniciantes da comunidade, que podem aprender através de suas mentorias e conteúdos. 

Mas, muito além disso, estamos falando de profissionais freelancers ou empreendedores que resolveram apostar na carreira solo para viver do que gostam. Sendo assim, eles se tornam influenciadores para produzir e vender seus cursos, consultorias e mentorias. 

À medida que essa pessoa conquista mais seguidores, mais ela espalha seu conteúdo e consegue passar sua mensagem, aumentando assim a sua presença digital e a possibilidade de monetização. 

Enfim, quantos desenvolvedores você segue por serem influencers e contribuir com a formação de sua carreira? Certamente são vários. E você também pode se tornar um deles vendo as dicas abaixo. 

Dicas para construir uma marca pessoal como desenvolvedor 

Como você deve saber, não é do dia para a noite que se constrói uma marca pessoal. Sendo assim, é bom frisar que o trabalho tem resultados em médio e longo prazos. Você pode contar com a ajuda de um consultor ou pesquisar a respeito do assunto na internet e em livros especializados para desenvolver seu personal branding. 

Então, já que a caminhada é longa, é preciso dar o primeiro passo. Nesse sentido, acompanhe dicas de como começar. 

LinkedIn 

O LinkedIn ainda é a principal rede social profissional. Portanto, você pode ter outros canais de preferência, mas linká-los no LinkedIn, que tem maior visibilidade entre desenvolvedores e tech recruiters. 

Nesse sentido, um perfil desatualizado, com poucas conexões e sem publicações, pode causar uma impressão negativa, especialmente se você está criando autoridade em outras redes. 

Outro recurso interessante da plataforma é compartilhar suas conquistas e realizações, criando marcos de novo emprego, novo curso, premiação, conclusão de cursos, entre outros. 

Além disso, procurar outras maneiras de tornar seu perfil mais visível. O exemplo é o desenvolvedor que tem uma conta ativa na Coodesh, pois ele pode integrar seu teste técnico (chamado de Fast Challenge) diretamente na plataforma, o que facilita a visualização pelo seu público-alvo. 

GitHub 

O GitHub é a maior plataforma de hospedagem de código-fonte. O que você faz como desenvolvedor no GitHub diz muito sobre o seu perfil profissional. 

Desse modo, tome alguns cuidados especiais nesta rede, como não deixar projetos inacabados, escrever códigos limpos para que outros developers possam entender e, sobretudo, contribua com os projetos de código-aberto de outros desenvolvedores. 

Lembre-se que para deixar seus projetos mais fáceis de entender, é bom escrever o README contendo uma breve descrição. 

Medium 

O Medium é uma mistura de blog com rede social. Portanto, ao desenvolver artigos para esta plataforma pense no futuro engajamento que ela pode criar. Assim, seu nome ficará mais conhecido e, portanto, novas conexões irão surgir. 

De modo geral, essa plataforma reúne posts de profissionais e amadores em determinadas áreas. Apesar de ter um plano pago, é possível trabalhar sua marca pessoal com os artigos publicados no modo gratuito. 

Dev.to 

O desenvolvedor que deseja criar e manter um blog, mas tem pouco tempo para otimizá-lo e alcançar visibilidade, pode contar com a plataforma do Dev.to. 

Ela é exclusiva para o mercado de desenvolvedores e recebe contribuições de profissionais do mundo todo. Além disso, a interdisciplinaridade de temas é muito grande e pode possibilitar novas conexões. 

Twitch 

O serviço de transmissões ao vivo permite a criação de uma série de conteúdos por parte do desenvolvedor, inclusive relacionados a tutoriais e outras dicas de ferramentas usadas nas principais stacks. 

De modo geral, o site é direcionado para criadores de conteúdo que buscam criar autoridade e contribuir com a comunidade através da criação de áudios e vídeos. 

Site pessoal 

Dentro da sua estratégia de criação do seu personal branding, considere a criação de um site para publicar seus projetos, cursos, blog posts e links para outras redes e plataformas. 

Lembre-se de caprichar no desenvolvimento do site, fazendo os devidos ajustes e testes. Afinal, ele destina-se a profissionais de tecnologia que costumam ser bastante críticos. 

Além disso, crie um domínio com o seu nome para contribuir com a otimização no SEO e mantenha-o atualizado. Acima de tudo, deixe claro qual é a sua área de atuação.

YouTube 

Para alcançar uma boa audiência, comece criando o seu canal no YouTube. Assim, crie um calendário de publicações com temas voltados à sua carreira e comunidade. Você pode divulgar tutoriais, fazer talks com outros developers conhecidos e responder às interações dos seguidores com novos vídeos. 

Portanto, para gerar audiência inicial, divulgue o canal na comunidade tech e crie conteúdos relevantes. 

Você acabou de verificar os passos iniciais para seguir na internet e ter mais visibilidade em torno da sua marca pessoal. Entretanto, há outras medidas estratégicas para tornar-se referência na comunidade DEV. Confira abaixo. 

Disponibilize cursos 

Quando você ingressou na programação, provavelmente realizou cursos gratuitos (e pagos) de desenvolvedores que eram referência na sua área. 

Por conta disso, retribua à comunidade tudo aquilo que aprendeu desenvolvendo cursos rápidos das tecnologias que você domina. 

A dica é hospedar seus cursos na Udemy, criar uma Landing Page ou até mesmo manter as aulas numa playlist do YouTube. Não se esqueça de trabalhar a otimização dessas páginas para que elas sejam encontradas pelo Google e outros mecanismos de busca. 

Participe ativamente de comunidades 

Contribua com as comunidades de developers nas quais você está inserido, respondendo às perguntas que são diretamente relacionadas à sua área de atuação. 

Aproveite para promover diálogos sobre as tecnologias, o mercado e o desenvolvimento profissional dos developers. Nesse sentido, acompanhe newsletters e curadorias voltadas às tecnologias que você mais utiliza, mantendo sua comunidade sempre atualizada. Sempre que possível contribua com os projetos divulgados pelos DEVs e faça correções de código. 

E, se a comunidade permitir, divulgue vagas para desenvolvedores para contribuir com aqueles que estão buscando o primeiro emprego ou uma recolocação no mercado. E, de quebra, mande uns memes porque ninguém é de ferro! 

Faça networking 

A manutenção da rede de contatos para um desenvolvedor, que deseja tornar-se mais conhecido e referência na área, é fundamental. Do contrário, de nada adianta criar cursos excelentes e fazer postagens incríveis nas redes sociais se os conteúdos não forem vistos. 

A essência do networking é você ajudar para ser ajudado. Portanto, a dica anterior de participar das comunidades e contribuir para a solução das dúvidas dos demais desenvolvedores cria uma percepção positiva em torno do seu nome no mercado. 

Além disso, participe de lives, talks e eventos presenciais sobre as tecnologias do seu segmento. Assim, você pode conhecer mais sobre a sua área e entender os seus diferenciais para assegurar futuras parcerias. 

Nesse sentido, a Coodesh mantém um calendário período de talks sobre as principais hard skills e carreiras. Fale conosco pelo e-mail [email protected] para saber como participar como convidado e contribuir com a sua comunidade. 

Interaja com seus seguidores 

O tempo do monólogo já ficou no passado. O usuário das redes sociais de hoje é consumidor e, ao mesmo tempo, produtor de conteúdo. Nesse sentido, dê espaço para seus seguidores exporem suas opiniões. 

Portanto, estimule a participação deles com perguntas, respostas aos comentários, lives e stories. Fique atento aos memes da área e use-os quando for conveniente.  

Conheça as práticas de marketing digital 

Alguns conceitos do marketing digital podem te ajudar na hora de criar sua marca pessoal. Nesse sentido, fique atento à definição e boas práticas de conversão de leads, persona, funil de atração, SEO, entre outros temas. Enfim, invista em leituras sobre as tendências e desafios do marketing digital e aplique-os nas suas estratégias de personal branding. 

Tenha clareza dos seus atributos 

Apesar de existirem muitos influenciadores digitais na área de desenvolvimento, é importante focar nos seus diferenciais. Nesse sentido, tenha clareza dos seus atributos. Mantenha o foco nas suas qualidades e talentos, trabalhando para fortalecê-los cada vez mais. Neste ponto, é válido até contar com uma ajuda profissional de um coaching. 

Posicione-se, mas sem polêmicas 

Seus seguidores, certamente, vão curtir e engajar com posts, vídeos e artigos que abordem seu posicionamento sobre determinado assunto. Portanto, não tenho de se posicionar sobre o mercado, por exemplo. Mas evite polêmicas desnecessárias, especialmente aquelas que são de áreas que você não domina ou que não têm relação direta com a sua carreira, como política e futebol. Isso porque você pode ser “cancelado” e perder parte dos seguidores por algum mal entendido. 

Quais tecnologias dão mais evidência? 

Antes de começar sua estratégia de criar sua marca pessoal na internet e nos eventos off-line é muito importante que você foque em uma área de atuação em vez de explorar todos os caminhos da tecnologia (o que seria impossível). 

Por isso, trazemos algumas dicas de tecnologias que estão em evidência e que vão render bons conteúdos nas redes sociais. 

JavaScript: há muitos influenciadores digitais que abordam o tema JavaScript. Afinal, ela é uma das linguagens mais populares de todos os tempos. Segundo a pesquisa Stack OverFlow de 2021, ela é usada por 64,96% dos desenvolvedores em todo o mundo. Além disso, tem aplicação no back-end, no front-end e no mobile. 

Ruby: a linguagem Ruby também é o assunto central de muitos developers influenciadores porque tem os maiores salários, pode ser usada no back-end e está sendo muito valorizada pelas empresas estrangeiras. Ela é uma linguagem usada no desenvolvimento de aplicações web e de programação orientada a objetos, mas também funcional. Outro ponto positivo é que Ruby tem uma ampla comunidade por ser considerada de leitura amigável. 

E você, qual linguagem ou framework acrescentaria nesta lista? 

Como criar a sua marca pessoal para chamar a atenção dos recruiters? 

Se a sua intenção é criar sua marca pessoal para chamar a atenção de recruiters nas redes sociais, especialmente os headhunters, fique atento às dicas do nosso tech recruiter Mateus Francisco para o nosso blog. 

Coodesh: Como o DEV pode usar seu perfil no LinkedIn para chamar a atenção de recrutadores?

Mateus Francisco: 

Colocando informações sobre seus projetos pessoais e freelancers, comentando sobre os assuntos que têm estudado, publicando sobre realizações e conquistas importantes em sua carreira (participação em hackathons, por exemplo), além de preencher corretamente seu tempo de experiência profissional nas empresas que trabalhou.

Coodesh: Um perfil desatualizado e com poucas conexões pode comprometer o desempenho do desenvolvedor em um processo seletivo?

Mateus Francisco: 

O perfil desatualizado tem bastante influência nos processos. Vejo que alguns desenvolvedores não colocam o tempo de experiência nas empresas que passaram, nem quais atividades realizavam. Não utilizar palavras-chave para ser encontrado nas buscas, sem identificar quais tecnologias e frameworks utiliza como DEV, também faz o perfil ser menos mostrado para recrutadores. Tem gente que coloca no Linkedin que trabalhou em empresas diferentes das que estão no currículo, e essa incoerência também influencia na nossa avaliação. Eu vejo que a questão da quantidade de conexões de amizade pode influenciar mais na visualização e alcance de vagas e oportunidades que possam estar disponíveis.

Coodesh: O developer pode focar em uma só rede, como o LinkedIn ou o Twitter, em vez de sair publicando conteúdos em todas?

Mateus Francisco: 

Acredito que focando mais no LinkedIn, que é uma rede específica para mercado de trabalho e buscas por empregos, ele pode publicar conteúdo mais estratégico focado em desenvolvimento e chamar mais atenção dos recruiters. 

Coodesh: Como tech recruiter, quais são as primeiras coisas que você observa no perfil das redes sociais do desenvolvedor?

Mateus Francisco: 

Principalmente o tempo de experiência que a pessoa tem em empresas reais. Depois disso busco por cursos de profissionalização e graduação, além de procurar por um portfólio (site pessoal ou GitHub). 

Como a Coodesh pode contribuir para você construir sua marca pessoal? 

A Coodesh é uma plataforma de recrutamento tech para empresas e de code assessment para desenvolvedores. 

Para criar sua marca pessoal como desenvolvedor é importante contar com a validação externa de uma plataforma de code assessment, pois assim você ganha mais respaldo na comunidade e pode conquistar mais seguidores no seu plano estratégico de personal branding. 

Ao criar seu perfil totalmente gratuito na nossa plataforma, você tem acesso ao onboarding que lhe permite: 

  • Realizar o Scorecard, que é um formulário de autoavaliação das suas stacks, indicando o nível de conhecimento nas principais tecnologias da sua área (do nível iniciante ao avançado); 
  • Responder ao teste comportamental: permitindo que os avaliadores conheçam seu perfil comportamental profissional, com suas principais soft skills; 
  • Participar do Fast Challenge: o teste técnico teórico indica o seu nível de conhecimento com as stacks mais solicitadas na sua área de atuação. A aprovação com desempenho superior a 75% permite que você publique automaticamente o certificado em seu perfil do LinkedIn;
  • Fazer o Project Challenge: o Project Challenge é um projeto com código que recebe o feedback dos nossos desenvolvedores e lhe permite demonstrar sua desenvoltura com os códigos. 
  • Baixar seu perfil dinâmico: ao final do processo, com seu perfil 100% preenchido e as etapas concluídas, você pode baixar ou imprimir seu perfil dinâmico. Aliás, ele serve como um portfólio, como você pode conferir neste conteúdo.  

Além disso, você como desenvolvedor está convidado a participar dos nossos talks dentro da série Coodesh DevTalks e também da produção de conteúdo do nosso blog. Portanto, converse conosco pelo e-mail [email protected]

Conclusão 

Como você viu, existem inúmeras ações para fortalecer sua estratégia de como criar sua marca pessoal como desenvolvedor. Para isso, basta focar em uma tecnologia, dar os primeiros passos nas redes sociais e ter consistência das suas ações. 

A Coodesh pode ser sua aliada. Então, que tal começar cadastrando seu perfil gratuito na nossa plataforma?

Clique aqui para criar sua conta gratuita.

Escrito por Gizele Silva

Formada em jornalismo, sou apaixonada por comunicação e tecnologia, além de adorar descobrir as soluções que o marketing de conteúdo traz aos negócios.

tech recruiter sênior

Tech Recruiter Sênior: 8 pontos essenciais deste profissional

o que é java

O que é Java?