in

Wuzu: conheça a fintech que está revolucionando o mercado de capitais

Wuzu

A alta tecnologia está presente em quase tudo. E com o mercado de capitais não poderia ser diferente. Mas, para aquecer ainda mais esse setor tão dinâmico, a fintech Wuzu vem se tornando referência na oferta de soluções para as empresas e startups ligadas ao mercado financeiro.

Com o mercado digitalizado, por que não eliminar os processos analógicos com segurança e dentro dos parâmetros legais? Nesse sentido, a Wuzu surgiu com uma proposta 100% em nuvem, com alta escalabilidade, resiliência e baixo custo operacional. Bastante ágil, a plataforma pode ser criada em duas horas, pronta para operar.   

Mas quais são as tecnologias empregadas, a oferta de soluções que atraiu clientes como o BTG Pactual (um dos maiores bancos brasileiros de investimento) e o que move os planos futuros da empresa? Acompanhe a leitura deste artigo para saber mais.

Fundação: Wuzu identificou a carência no mercado

A Wuzu, com sede em Curitiba-PR, teve início em 2017 a partir da constatação de uma carência de mercado. Logo, não havia soluções robustas ou que garantissem o fácil acesso às melhores opções de investimento.

Assim, algumas pessoas, entre elas: Anderson Nery (CEO), Bruno Bertoldi (CTO) e mais tarde Guilherme Zonatto (COO) se uniram e criaram uma infraestrutura nova inteiramente baseada na nuvem, resiliente como as bolsas de valores tradicionais, porém, com um custo operacional mais baixo.

Desde então, mais de 100 investidores já fizeram aportes na fintech curitibana. Um dos principais clientes é o BTG Pactual, que figura entre os principais bancos de investimento do país. Você verá esse case com mais detalhes ainda neste artigo.

E, então, quais são as principais soluções oferecidas pela Wuzu, os seus produtos e diferenciais? Como está o ambiente futuro para a fintech? Mais do que isso, como é a vida da pessoa desenvolvedora que acompanha os desafios do crescimento desse setor? Continue nos acompanhando para saber mais nos próximos tópicos.

Digital Trading: desenvolvendo alta tecnologia para as transações

Investimentos altos e de curtíssimo prazo exigem plataformas robustas e estáveis para navegação e transmissão de dados. A fim de levar a melhor tecnologia aos seus clientes, o time de desenvolvimento da Wuzu é incansável na busca pelas melhores soluções.

Portanto, confira agora as principais tecnologias e conceitos adotados:

  • Rust
  • .NET Core
  • Typescript
  • React
  • Postgres
  • RabbitMQ
  • Terraform
  • Kubernetes
  • Github Actions

E, então, caso você seja developer, já tem familiaridade com essas tecnologias? O que acha delas? Continue a leitura para conhecer agora os principais produtos da Wuzu e onde a fintech quer chegar em breve.

Produtos da Wuzu: revolucionando o mercado de ativos digitais

Como você viu até aqui, a Wuzu nasceu inovadora, com a finalidade de operar em um mercado em crescimento. Sendo assim, ela se destacou, inicialmente, por integrar várias exchanges na mesma matching engine. Mas, além disso, alcança novos resultados com outras soluções no mercado. Veja os produtos da fintech a seguir.

A exchange é um pilar do mercado financeiro digital. Ela funciona como uma casa de câmbio para transações digitais que envolvem criptomoedas. Desse modo, para ingressar nesse mercado com o perfil de investidor, é necessário contar com uma exchange confiável.

Produtos

Portanto, o primeiro produto da Wuzu sobre o qual vamos falar neste artigo é a Wuzu Exchange. Trata-se de uma solução white label para o empreendedor ter a sua própria exchange. A vantagem é que a plataforma é 100% modular e, em consequência, aceita a integração com outras tecnologias. Dessa maneira, em algumas horas, a exchange pode virar realidade.

Agora, se o cliente quer configurar seu token (registro de um ativo em formato digital), a Wuzu oferece a Plataforma de Emissão de Tokens. Por consequência, ela é uma solução modular que pode ser integrada a um Painel do Administrador e a provedores de KYC/AML. Aliás, esse foi o produto escolhido pelo banco BTG Pactual, considerado o maior banco de investimentos da América Latina.

Já com a Wuzu Matching Engine, é possível configurar várias matching engines em cerca de 2 horas, otimizando o tempo e aumentando a liquidez do cliente. O benefício é a escalabilidade por demanda, com atualizações constantes.

E, com o Balcão Eletrônico da Wuzu, o cliente se conecta a vários players sem uma compensação central. Assim, abre-se a possibilidade de descobrir preços em mercados não organizados, contratos de energia, entre outros.

Para quem busca ainda mais soluções, a fintech disponibiliza um produto aos que desejam ter uma carteira de criptomoedas não conectada à internet. Enfim, estamos falando do Wuzu Wallet, criado para proteger os ativos do cliente sem a necessidade de se expor a carteiras quentes.

Próximos passos: novos mercados para a Wuzu

De 2017 para cá, a Wuzu marca presença disponibilizando soluções para o mercado de ativos digitais. Mas os próximos passos da fintech terão as atenções voltadas para as transações de títulos públicos e energia.

Os fundadores da Wuzu ressaltam que é preciso digitalizar essas operações. Só para você ter uma ideia, o mercado de energia transaciona atualmente cerca de R$ 500 milhões ao dia.

Mas somente 10% desse montante é negociado digitalmente. Ainda se usa o telefone nos acordos, apesar dos riscos inerentes e da falta de agilidade no processo, sem falar na falta de transparência.

Por conta disso, a Wuzu está reforçando o time de marketing e vendas, visando explorar novos segmentos.

Case: cliente BTG Pactual

Como você viu neste artigo, a Plataforma de Emissão de Tokens está entre os produtos disponibilizados pela Wuzu no mercado de investimentos digitais.

Foi justamente essa solução que atraiu o BTG Pactual à carteira de clientes. Aliás, foi a solução escolhida para operar o ReitBZ, o token próprio do banco, que é lastreado por um fundo de investimentos.  

Só para complementar, o banco está próximo de arrecadar US$ 15 milhões com a oferta baseada em tokens, intermediada pela tecnologia oferecida pela Wuzu. Trata-se, portanto, da primeira instituição financeira da América Latina a lançar uma iniciativa como essa.

Conclusão

A automação e a digitalização do mercado financeiro é um caminho sem volta. Nesse sentido, a Wuzu é uma startup fundada em 2017 que atraiu cerca de 100 investidores interessados em apoiar iniciativas que levem inovação a esse nicho.

Com um time de desenvolvimento focado em soluções 100% na nuvem e usando tecnologia de ponta, a fintech deseja alcançar o mercado internacional e novos espaços no cenário nacional, como os ativos de energia e as cotas de startups.

A Wuzu está entre os clientes da Coodesh, startup especializada em recrutamento e seleção de developers para empresas dos mais variados setores econômicos. Sempre com o propósito de encontrar os melhores talentos tech para os diferentes cenários e contribuir, assim, para o crescimento dos seus clientes.

Se você é uma pessoa desenvolvedora e percebeu que está alinhado às expectativas de mercado da Wuzu, aproveite para se cadastrar na plataforma da Coodesh e acompanhe as nossas redes sociais para ficar por dentro das vagas abertas. 

Escrito por Gizele Silva

Formada em Jornalismo pela UEPG e especialista em Mídia e Política. Experiência de 18 anos em jornalismo diário. Desde 2017, atua com Marketing de Conteúdo. Atualmente, sou produtora de conteúdo da Coodesh.

erros na contratação de devs

Confira 12 erros na contratação de DEVs para serem evitados

mulheres na tecnologia

Mulheres na tecnologia: um mercado a ser desbravado