in

Saiba como é a rotina na área de Engenharia de Software na Wuzu

ilustração mostra figura de mulher ao lado de computador

Você já pensou em trabalhar em Engenharia de Software? A carreira está em alta devido ao uso massivo de sites, aplicativos e plataformas digitais. A área é um pilar importante na Wuzu, que é uma plataforma de digital trading. Dessa forma, conheça neste artigo como é a rotina no setor. Aproveite para descobrir como é trabalhar na Wuzu, uma fintech que só vem crescendo desde a sua fundação em 2017.

Em suma, a Engenharia de Software se baseia nas teorias, ferramentas e técnicas da Ciência da Computação para o desenvolvimento de sistemas de software. Por essa razão, os (as) profissionais dessa área estão sempre se atualizando e acompanhando as inovações.

Nesse sentido, veja neste conteúdo o que faz o (a) profissional de Engenharia de Software, qual é o salário médio da categoria, o volume de vagas para a carreira. Mas, principalmente, saiba como é a rotina de uma engenheira de software dentro da Wuzu.

O que faz a pessoa engenheira de software

A pessoa que deseja seguir carreira nessa área deve fazer uma faculdade ou um MBA em Engenharia de Software. Em síntese, o curso prepara o aluno para:

  • compreender e aplicar processos, técnicas e procedimentos de construção, evolução e avaliação de software;
  • exercer múltiplas atividades relacionadas à software, como desenvolvimento, evolução, consultoria, negociação, ensino e pesquisa;
  • identificar e analisar problemas avaliando as necessidades dos clientes;
  • projetar, desenvolver, implementar, verificar e documentar soluções de software baseadas no conhecimento de teorias, modelos e técnicas.

Assim, essas e outras tarefas fazem parte do dia a dia de um (a) engenheiro (a) de software. E, só para contextualizar, o termo Engenharia de Software foi usado pela primeira vez nos anos 60, quando existia uma grande demanda por essa especialidade devido ao crescimento rápido na procura por softwares.

Salários

Segundo o site Vagas.com, o (a) engenheiro (a) de software recebe um salário médio de R$ 6.303,00. O levantamento foi baseado nas vagas divulgadas na plataforma. Contudo, a remuneração varia conforme a empresa, a senioridade exigida na vaga, entre outros aspectos.

Skills

A pessoa engenheira de software tem perfil analítico para conceber e desenvolver aplicações de acordo com as necessidades do cliente. Por consequência, é importante que a pessoa que decide seguir essa carreira faça uma graduação e continue os seus estudos. Afinal, buscar a atualização constante é essencial.

Mas inicialmente é essencial que o (a) especialista dessa carreira tenha conhecimento de desenvolvimento e de gestão, já que assumirá diferentes responsabilidades conforme os variados cenários nos times de desenvolvimento.

Assim, além de ter um bom raciocínio e saber interpretar números, a pessoa engenheira de software também precisa ser criativa e ter uma visão estratégica sobre o negócio.

Saiba mais sobre a rotina da função na Wuzu

A Nathalie Maciel, ou simplesmente Nathy, é formada em Engenharia Eletrônica pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e trabalha como engenheira de software na Wuzu.

A seguir, confira um bate-papo entre o blog da Coodesh e ela para entender como é trabalhar na Wuzu e as rotinas de uma engenheira de software dentro de uma fintech. Fica a dica para você que deseja investir suas energias nessa área.

Quando você entrou na Wuzu?

Entrei na Wuzu em março de 2018. Minha primeira função foi desenvolver testes para a nossa exchange. Hoje, trabalho no desenvolvimento Back-end de produtos associados ao Homebroker.

Como é o seu fluxo de trabalho em um dia comum?

Eu inicio meu dia revisando o código produzido pelo time. Então, passamos para a nossa reunião diária para discutirmos nossas tarefas realizadas e o planejamento das nossas tarefas do dia. Então, eu passo para a parte de desenvolvimento, onde eu finalizo as tarefas planejadas para o dia. Geralmente as tarefas são divididas principalmente em:

  • adição de novas funcionalidades (tanto para produtos já existentes, quanto para novos)
  • resolução de problemas encontrados
  • adição de testes
  • documentação (tecnologias, processos, especificações, entre outros)

Quais são as principais linguagens e frameworks que você utiliza?

Trabalho principalmente com a linguagem de programação C# e frameworks .NET Core, como o Identity Server 4 e ASP.NET Core.

O que mais lhe encanta na Wuzu?

Inicialmente me encantei pela Wuzu pelo seu modelo de negócio. A Wuzu é uma startup que busca revolucionar a forma como negociamos ativos digitais. E inovação sempre foi uma paixão minha. Mas trabalhar na Wuzu me encantou de outras formas também. Eu amo o ambiente harmonioso que temos lá, onde todos são muito focados em fazer dar certo, não por uma obrigação de pessoa contratada, mas porque se sente valorizado profissionalmente. Portanto, se sente uma parte do time realmente.

A participação de mulheres nos times de desenvolvimento ainda é baixa, de maneira geral, mas existe esse estímulo à diversidade na Wuzu?

Sim, considerando o tamanho da equipe de tecnologia, na Wuzu temos uma participação de 25% de mulheres no time de TI. Esse é uma parcela muito superior em comparação com outras empresas de tecnologia. E a Wuzu tem uma grande preocupação em manter esse indicador alto conforme o time se expande, tentando sempre atrair profissionais femininas na captação de talentos.

A Wuzu iniciou o trabalho remoto antes mesmo do começo da quarentena para resguardar seus colaboradores da pandemia. Como você vê essa atitude? 

Eu vejo que isso indica duas características muito marcantes na Wuzu:

1- Preocupação com o bem-estar físico e emocional do time. A Wuzu sempre investe no bem-estar e crescimento do seu profissional, pois sabe que esse é um investimento inteligente, e o resultado é um time coeso e satisfeito.

2- Inovação: a Wuzu sempre busca estar atualizada e inovando em todos os sentidos, portanto o home office é mais um passo em direção a isso.

Bacana essa carreira na Wuzu, não é? Acompanhe o vídeo onde a engenheira de software dá mais informações sobre como é fazer parte desse time.

Conclusão

A Engenharia de Software evoluiu desde que o termo começou a ser usado no mundo, nos anos 60, e a tendência é que essa evolução se mantenha visto que as soluções digitais estão em todas as áreas, seja na educação, no e-commerce ou na negociação de ativos digitais, como é o caso da Wuzu.

Nesse sentido, para conhecer mais sobre a fintech, aproveite para visitar a página do perfil da empresa no site da Coodesh e ficar informado sobre as vagas abertas na fintech.

Escrito por Gizele Silva

Formada em Jornalismo pela UEPG e especialista em Mídia e Política. Experiência de 18 anos em jornalismo diário. Desde 2017, atua com Marketing de Conteúdo. Atualmente, sou produtora de conteúdo da Coodesh.

Recrutamento tech: quais são as principais dores das empresas?

hard e soft skills devops

Descubra quais são as mais importantes hard e soft skills de um DevOps