in

Negociação salarial na área tech: como o RH pode calcular e negociar valores?

As pessoas são o bem mais valioso de uma empresa. Não é à toa que o salário de um(a) colaborador(a) é tão importante no peso do orçamento de um negócio. Mas então como ter um time qualificado e, ao mesmo, saber conduzir bem uma negociação salarial? Veja mais neste artigo.

Em primeiro lugar, é bom lembrar que o salário de uma pessoa desenvolvedora ou de qualquer outra função da tecnologia é considerado alto. Afinal de contas, ele tem por trás todo um grau de conhecimento e de importância para a manutenção dos projetos da organização.

Em segundo lugar, não podemos nos esquecer que existe uma diferença muito grande entre o número de profissionais disponíveis no mercado e a quantidade de vagas abertas.

Isso resultado num mercado mais competitivo, visto que se a sua empresa oferecer um salário abaixo do mercado pode não preencher a vaga. O que ainda pode ocorrer é contratar o(a) profissional e, em poucos meses, perdê-lo para um concorrente que ofereceu um salário mais atrativo.

Mas então como chegar a um ponto de equilíbrio? Para muitas empresas e startups isso parece um grande desafio. Mas vamos lhe dar algumas dicas neste artigo para facilitar a sua negociação salarial, além de orientar o Dev sobre como ele pode definir a sua pretensão salarial no currículo.

RH: como definir salários na área tech

As dicas a seguir valem principalmente para o recrutamento tech, já que sabemos que há uma disparidade entre a oferta e a procura de pessoas desenvolvedoras.

Estude a média do mercado

O RH Tech pode (e deve) pesquisar os salários anunciados por empresas e startups do seu ramo. Assim, ao abrir uma vaga para Full-stack, por exemplo, pesquise nos sites de vagas de emprego e nas empresas de consultoria em tech recruiter qual é a faixa salarial da carreira.

Por consequência, você atrairá mais pessoas candidatas qualificadas. Isso porque se o seu RH apresentar um salário muito acima do mercado pode chamar a atenção de muitas pessoas interessadas, que talvez nem tenham todas as qualificações esperadas. Ou ainda, pode ocorrer o contrário, de você anunciar um salário muito baixo e não conseguir atrair os Devs mais desejados.

Considere seus salários internos

Mas além de olhar para fora é importante olhar para dentro quando a questão são salários, benefícios e negociação salarial. Afinal de contas, se você contratar um(a) novo(a) colaborador(a) por um valor acima dos praticados internamente, poderá gerar desconforto no seu time.

Pense nos benefícios oferecidos

Uma pessoa pode trabalhar na sua empresa ou startup atraída pelo pacote de benefícios, você sabia? Isso porque o salário pode não ser dos melhores, mas em compensação você oferece benefícios e um clima bacana de se trabalhar.

E, por falar em benefícios, os mais desejados são plano de saúde, vale-alimentação e vale-refeição. Sendo assim, faça um estudo dos seus gastos fixos e variáveis e formalize parcerias para garantir o maior número de benefícios possível.

Analise linguaguem vs mão de obra

Existem linguagens mais bem pagas que outras. Por isso, é bom ficar de olho no salário que você está oferecendo na sua empresa. Nesse sentido, uma pesquisa da Stack Overflow identificou que as linguagens Perl, Go e Scala foram as mais bem pagas de 2020.

Verifique o nível de senioridade da vaga

Profissionais experientes tendem a ganhar mais, não é mesmo? Afinal, as responsabilidades também são maiores. Mas o RH Tech precisa verificar o nível de senioridade da vaga. As pessoas desenvolvedoras são, normalmente, classificadas em Júnior, Pleno e Sênior.

Por consequência, o(a) profissional Júnior trabalha sob a supervisão de alguém do nível Pleno ou Sênior. Já o Dev do nível Pleno é mais experiente, com até 10 anos de experiência, e pode conduzir parte dos projetos sozinho. Enquanto isso, o(a) profissional Sênior assume equipes e projetos e possui mais experiência no time.

Leve em conta o formato de contratação

Assim como nas demais áreas de atuação, na área tech também é importante lembrar que o(a) profissional tem faixas salariais ligeiramente diferentes quando é contratado via CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) ou como PJ (Pessoa Jurídica). Isso ocorre porque o PJ ganha mais pelo fato de não ter acesso aos benefícios trabalhistas, como férias e 13º salário.

Devs: como negociar salários

Fique atento(a) ao salário no mercado antes de assinar contrato

A negociação salarial é um ponto importante para ambas as partes: quem contrata e quem é contratado(a). Nesse sentido, a pessoa desenvolvedora também deve se cercar dos mesmos cuidados do headhunter. Portanto, se você é developer, fique atento a essas dicas.

Pretensão salarial: para chegar a uma pretensão salarial adequada ao seu nível de senioridade e domínio técnico na função e nas linguagens solicitadas, é importante fazer uma boa análise e verificar o salário pago no mercado a funções semelhantes. Mas, acima de tudo, fica a dica de não desistir de uma oportunidade apenas pelo fato de ela não alcançar a sua pretensão salarial.

Flexibilidade: é muito importante ter cautela na hora da negociação salarial. Como dissemos acima, é interessante não abrir mão da vaga apenas pelo salário. Nesse sentido, seja flexível e considere o novo valor proposto, bem como os benefícios ofertados.

Diferenciais: é justo que a empresa saiba os seus diferenciais e os coloque em jogo quando você está fazendo a sua contraproposta salarial. Por isso, não hesite em falar dos seus cursos, idiomas e experiência na carreira que está pleiteando.  

Média salarial de Devs no mercado  

No intuito de conhecer a média salarial paga a pessoas desenvolvedoras, a consultoria Robert Half identificou que o salário inicial é de R$ 3.100,00 para cargos de nível Júnior. Um(a) profissional experiente chega a ganhar R$ 15.750,00.

Mas, é claro, o salário depende do tipo de contrato (se é período full-time ou part-time), da região onde a empresa está instalada, do porte do negócio, da linguagem de programação e ainda do nível de experiência.

Conclusão

Em síntese, a negociação salarial não precisa ser uma luta de braço entre RH Tech e Dev. Mas é preciso ver a situação sob o olhar dos dois lados para poder ser mais flexível e contribuir para chegar a um acordo.

E por falar em recrutamento tech, a Coodesh é especialista no recrutamento do time de tecnologia de empresas e startups. Somos uma startup remota que disponibiliza plataforma de anúncio de vagas e recrutamento de Devs que passam por entrevista, desafios tech e mapeamento comportamental.

Entre em contato conosco e saiba mais!

Escrito por Gizele Silva

Formada em jornalismo, sou apaixonada por comunicação e tecnologia, além de adorar descobrir as soluções que o marketing de conteúdo traz aos negócios.

O que é Kubernetes?

Por que investir na carreira de Talent Acquisition?